• home
  • sobre
  • contato
  • favoritos
  • 101 em 1001
  • 19 de maio de 2017

    6 músicas de Glee que me emocionam


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. E esse tempo meio louco? Saio de casa cheia de casacos e depois fico com calor. Finalmente já é sexta feira, me contem o que vocês pretendem fazer nesse final de semana, eu quero ficar em casa atualizando as minhas séries mesmo, risos.

    Quem acompanha o blog já sabe que eu sou louca por Glee e hoje fazem oito anos que o primeiro episódio foi ao ar. Mesmo não acompanhando desde o começo, o amor é o mesmo. Então, resolvi selecionar algumas músicas que mais me marcaram e me emocionaram ao assistir essa série. E não, não está em ordem de preferência. Vem ver: 
     Don't Stop Believin'


    Não tem como ouvir um hino desses sem lembrar de Glee, me perdoem. Logo no primeiro episódio, eles cantam Don't Stop Believin' e ao ver eles fazendo essa performance porque eles queriam que o Will continuasse sendo o professor deles, a gente já consegue perceber o quanto essa série é especial. Vocês sabiam que essa cena demorou um dia e meio pra ser gravada? E todo esse tempo valeu a pena. Nos shows que a Lea fez, ela cantou essa música, o fandom enlouqueceu. 

    "Não pare de acreditar, se segure na sensação, luzes da rua, pessoas..."

     Make You Feel My Love


    Eu acredito que palavras nunca vão ser o suficiente pra expressar o quanto esse episódio me marcou (e o quanto eu chorei). O tributo ao Finn foi um dos episódios mais especiais e difíceis de assistir, imagina pra quem tava lá. Ao assistir as homenagens, que por sinal foram todas lindas, a gente pode perceber que nada daquilo foi atuação. Cory foi uma pessoa incrível e eu fico muito feliz de saber que a Lea, que era namorada dele na época, ainda canta Make You Feel My Love nos shows dela, a gente consegue sentir um pouquinho desse amor.

    "Eu poderia fazer você feliz, fazer os seus sonhos se tornarem realidade, não há nada que eu não faria, iria até o fim da terra por você, para fazer você sentir o meu amor."

     Beautiful


    A música na versão da Christina já é linda e super importante, agora com a voz da Mercedes ficou um lacre. Eu lembro que caiu uma lágrima quando eu assisti, porque a Mercedes é obrigada a fazer uma dieta pra ter que entrar na Cherrios, então, ela acaba expressando e falando tudo que tem pra falar através da música e a gente consegue perceber tudo isso, o quão sufocante é ter que lidar com esse tipo de coisa e é triste saber que muitas mulheres ainda passam por isso. Qualquer comentário ou atitude, podem afetar a autoestima de alguém, então, muito cuidado, viu?

    "Eu sou bonita, não importa o que eles digam, palavras não vão me fazer cair, eu sou bonita de todas as maneiras, sim, palavras não podem me abalar, oh não, então não me abale hoje." 

     Shake It Out


    Essa performance é um arraso, bicho. Nesse episódio, as meninas fazem uma piada com a treinadora que estava com o olho roxo, dizendo que ela tinha apanhado. Só que elas estavam certas. É tão importante quando uma série traz assuntos assim, na qual a gente precisa prestar atenção SIM! É um episódio que abre os olhos para os relacionamentos abusivos. Então, elas resolvem cantar essa música e gente, ficou muito lindo na voz delas.

    "É difícil dançar com um diabo nas suas costas, se eu tivesse metade da chance, eu faria tudo de novo. É um romance bom, mas me deixou tão incompleta, é sempre mais escuro antes do amanhecer." 

     Cough Syrup


    Esse aqui é pesado. A interpretação do Darren foi linda e muito emocionante, na verdade, o episódio em si é assim. Confesso que antes essa música nem tinha chamado muito a minha atenção, mas depois de já ter terminado a série, parei pra assistir uns episódios aleatórios e fui assistir esse. Eu queria tentar não dar nenhum spoiler, mas já dei quando falei das outras ali em cima, só que nessa aqui, é só você assistir esse vídeo da música que já dá pra entender. Só sei que precisamos falar mais sobre a homofobia e o suicídio!

    "A vida é muito curta para se preocupar com tudo, eu estou perdendo a cabeça, perdendo o controle." 

     This Time


    Eu desabei quando escutei essa música, ainda mais na voz da Rachel. Confesso que desabei também porque era o último episódio, então somou tudo. This Time fala um pouquinho de toda a trajetória deles, de todas as batalhas que eles perderam ou ganharam e do quão grato eles são por terem feito parte disso tudo. Eu não imagino outra pessoa cantando se não a Rachel, ela foi a pessoa certa. E o melhor de tudo é que quem escreveu foi o Darren Cris, o Blaine da série, ou seja, ele soube exatamente o que falar pra encerrar esse ciclo e mandou muito bem. A última música que eles cantam também me marcou pra caramba, juro que essa escolha foi bem difícil.

    "Quando eu procurava aquele holofote, eu estava olhando para mim mesma, superei o que eu tinha medo, mostrei pra todos do que eu era feita, mais que troféus em uma prateleira." 
    Espero que tenham gostado dessa playlist. Foi difícil escolher só seis músicas, é que se eu colocasse todas, o post ia ficar gigante, daí já viu. Eu devo ter esquecido de algumas, perdoa aí. Todas essas me marcaram de alguma forma e sempre quando eu escutar, seja até mesmo a versão original, vou lembrar deles.

    Quem aqui já assistiu Glee? Qual música mais te marcou? Me contem, quero saber.

    Beijos! 

    10 de maio de 2017

    Profissões | Psicologia

    Foto: Pinterest.
    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. Fiquei muito feliz com os comentários do post anterior, é muito bom saber que vocês gostam de ver esse tipo de conteúdo por aqui.

    Quem me conhece sabe que eu sempre tive muita dúvida em relação ao meu futuro profissional, entre idas e vindas, resolvi abrir uma categoria aqui no blog em que eu entrevisto algumas pessoas sobre determinado curso. Já tem sobre Cinema e Jornalismo, felizmente voltei com essa categoria e dessa vez, o curso é um que chama a atenção de muita gente: Psicologia.

    Entrevistei a fofa da Mari, do blog Marina Alessandra. Ela já está no quinto período de Psicologia, ama falar sobre esse curso e isso é muito bacana, já fica aqui o meu muito obrigada, viu? Então, vamos ao que interessa.

    1. Por que você decidiu cursar Psicologia? Você sempre teve certeza dessa escolha?

    Então, eu sempre quis esse curso. Sempre MESMO! Desde quando começaram a falar/pensar em vestibular, eu já sabia o que eu queria. Mas não sei porque, DO NADA, eu fiz Nutrição (pra quem não sabe, fiz um ano e meio desse curso). Até hoje me pergunto o que deu em mim ter feito, mas enfim. Então sim, sempre tive certeza da minha escolha, apesar do deslize que dei. (risos)

    2. Como você se preparou para o vestibular?

    Na verdade, eu sempre quis fazer meu curso numa faculdade particular. Nada contra as públicas, mas isso sempre foi uma opção minha. Então, sem menosprezar as particulares, por um lado foi mais fácil. A pressão não foi tão grande pra passar no vestibular de lá, na verdade, é beeem mais fácil que uma pública. Então no meu caso, não tive todo aquele preparo. Estudei, mas não tanto a ponto de passar numa pública (deu pra entender?) HAHAHA

    3. Qual foi a sua impressão no primeiro dia de aula? E como foi? 

    Imagina chegar numa sala com mais de 60 alunos, sem lugar pra sentar e você não conhecer NINGUÉM????? Foi exatamente assim que foi. Eu fiquei beem ansiosa, porque afinal, era o curso que sempre queria fazer, e em pânico, porque sempre fui MEGA tímida e aí já imaginei apresentar trabalho pra toda aquela gente. HAHAHA Mas no final deu tudo certo. A professora fez uma atividade em sala, em dupla, e logo de cara me dei super bem com a menina que ficou comigo. A gente conversou bastante e, se me lembro bem, no segundo dia de aula já estava beeem mais soltinha.

    4. Em sua opinião, quais as principais características que uma pessoa deve ter para cursar Psicologia?

    Empatia. Acho que é exatamente isso que uma pessoa deve ter pra cursar Psicologia. Saber se colocar no lugar do outro é essencial pra se tornar um bom profissional (e olha que eu só to falando da minha área). Mas pra mim, é exatamente isso. A pessoa ter empatia, saber lidar com educação e saber se posicionar em relação aos sentimentos e emoções do outro, é algo extremamente único e essencial pra essa profissão. Ah, tem que gostar de ler, esse ponto também é essencial demaaaais! HAHAHA Da-lhe texto, viu?!


    5. Como é o curso, em geral? (matérias, trabalhos, etc.).

    O curso é bem puxado e estaria mentindo se dissesse que não teria cálculo. HAHAHAHA Eu pensei que não houvesse, mas acabei quebrando a cara agora no 5ª período. Estou tendo Estatística e morrendo de medo da prova (já é agora em Abril :x). Minha faculdade sempre oferece mini cursos e palestras pra todas as áreas, inclusive a minha, então sempre tô por dentro. Em sala de aula, os professores não costumam passar tanta tarefa pra casa, sabe?! Mas eles sugam muito na hora da prova (afinal, isso que é faculdade, aprendam. HAHAHAH). Já perdi as contas de quantos seminários apresentei, e no 4ª período tive um que me sugou até a alma. Mas, vivendo e aprendendo.

    6. Como é a sua rotina de estudos?

    Minha rotina de estudos varia muito. Eu não estudo todos os dias. Estudo mesmo quando tô com vontade e aí pode ter certeza que vou o dia todo estudando. HAHAHHAAHAH Geralmente estudo uns 4 dias na semana, revisando conteúdo, lendo os textos das próximas aulas e fazendo resumos pra discutir com o professor em sala. 

    7. Quais são, pra você, os pontos positivos e negativos dessa profissão? 

    Os pontos positivos é que eu vou tratar diretamente com pessoas (AMO!), apesar de que algumas não são tão fácies de lidar, né?! Mas é algo que eu gosto MUITO e por isso sinto que vou me dar super bem. Sou bastante paciente e gosto de ouvir os outros, sabe? Então isso são pontos muito positivos pra mim. O negativo, é por esse mesmo lado. Como falei, cuidar de pessoas não é nada fácil. Imagina ter que escutar na sua frente que fulano quer matar ciclano? É meio desesperador, né? E quando alguns deles são agressivos? Tudo isso é questão de comportamento e saber entender como funciona a mente humana. 

    8. Você já sabe pra qual área pretende seguir?

    Não. Entrei no curso desesperada pra ter aula de Psicologia Hospitalar e acabei me apaixonando por Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT). Portanto, ainda tô beem confusa de qual delas vou seguir. </3

    9. O que você gostaria de ter ouvido antes de entrar na faculdade?

    "Relaxa que não vai ter cálculo" (e realmente não ter!). HAHAHAHAHAHAHAHA Mas né, vida que segue. Vamos lá, estudar Estatística, Psicometria...

    10. Tem algum conselho pra quem pensa em fazer Psicologia?

    FAÇA! Psicologia é uma área linda e se pudesse falaria dela até vocês enjoarem. Mas ó, seja paciente em ouvir e JAMAIS misture ciência com religião. Psicologia NÃO É religião. É saber entender o que o outro sente, sem colocar nele suas crenças. Algumas pessoas acham que por fazer Psicologia, vão poder interferir na escolha do outro. Então, por favor, se você tá pensando assim, repense. Repense MUITO e depois tome sua decisão. Obrigada, de nada. HAHAHAHAH Faça Psicologia (ou qualquer outro curso) por amor, por vontade. O curso é lindo e a mente humana também. 
    Amei entrevistar a Mari! Deu pra ver que ela é apaixonada pelo curso, né? Apesar dos cálculos e tudo mais, hahaha. Muito obrigada, Mari. Que você seja cada vez mais realizada nesse curso. 

    Eu espero que vocês tenham gostado de saber um pouquinho mais dessa profissão tão incrível e espero ter ajudado vocês de alguma forma.

    O que acharam da entrevista? Quem aqui já pensou em cursar Psicologia? Quero saber, hein.

    Beijos! 

    5 de maio de 2017

    6 canais no Youtube que merecem mais inscritos

    Foto: Tumblr.
    Oi gente! Os feriados já terminaram e agora só nos resta aceitar, não é mesmo? Só em junho. E como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. Meio desanimada, mas tentando me organizar e me atualizar nas séries, até por que não é fácil, né? 

    No ano passado eu sempre indicava alguns canais no Youtube aqui pra vocês, que não tem tantos inscritos mas que merecem muito. E hoje, resolvi selecionar 6 canais pra vocês assistirem aos vídeos e gostarem, assim como eu. Então, vem ver as indicações:  
    Esse ano a Mari tem como meta crescer no Youtube e tá dando super certo. Eu já conheço e adoro o blog dela, que é o Letras na Gaveta, agora ela está se dedicando bastante no canal e a gente percebe isso, as edições melhoram cada vez mais. Lá no canal da Mari, ela dá várias dicas, principalmente de estudos e como ela começou a fazer Publicidade, agora tem vídeos sobre. Já ativei o sininho e tudo! 

    ❥ Victoria Ferreira


    Adoro demais a Vic! Acompanho ela já faz alguns anos e fico muito feliz de ver todo esse amadurecimento, tanto pessoal como profissional, ela é dona do Amante de Rímel também. Lá no canal da Vic, tem vários vídeos sobre a faculdade de Jornalismo, alguns vlogs, muitos bate papos e dois quadros que eu adoro em especial: sobre o feminismo e agora, sobre a saúde mental. Duas coisas importantes e que nós precisamos falar sobre. 

    ❥ Nathália Severo


    Conheço a Nath pessoalmente e curto muito o trabalho dela. Ela é atriz, participa de uma peça aqui de Porto Alegre, faz faculdade de Publicidade e ainda tem um canal super bacana no Youtube. Por lá, ela compartilha muitas dicas com a gente, seja sobre moda ou até mesmo sobre os últimos filmes que ela assistiu. Sempre tenta ajudar a gente com as suas dicas, uma fofura!

    Eu também conheço o Pietro pessoalmente, ele participa da mesma peça que a Nath e eu gosto muito do trabalho dele. Cada vídeo que ele posta é uma história, literalmente. Gosto muito da forma de como ele narra os vídeos e se expressa, com certeza vai se dar muito bem pelo Youtube, só de assistir algum vídeo a gente percebe isso. 

    A Louie é aquele tipo de pessoa que só de assistir um vídeo a gente já se sente bem, sabe? Ela traz uma paz indescritível. Lá no canal dela, tem vários bate papos super bacanas, ela pega um chá e começa a conversar, sem contar que ela fala sobre assuntos que são bem importantes. E pra melhorar, a Louie também canta e lá no canal tem vários covers que ela já fez! Amo demais. 

    ❥ Tudo Orna


    Eu amo essas irmãs! Pra quem não conhece esse trio, são três irmãs empreendedoras de Curitiba que tem a sua própria marca: a Orna. Tem bolsa, batom e agora até o Orna Café, olha que máximo. A Bá, a Dé e a Ju compartilham de tudo lá no canal, sobre empreendedorismo, seus casamentos (duas já são casadas), sobre o intercâmbio da caçula, os seus cursos na faculdade, tem vários bate papos bem bacanas e até mesmo histórias da infância, que eu adoro. #ninguemvaibaterninois #quartairma
    Então é isso meus amores! Espero que vocês tenham gostado das indicações e acompanhem esses canais super bacanas.

    O que acharam? Já conheciam algum canal? Me contem, quero saber.
    Beijos! 

    30 de abril de 2017

    Resumo do mês de Abril


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que bem. E eu estou bem, obrigada. Sim, eu sei que eu andei meio sumida, mas esse mês foi um tanto quanto corrido pra mim, por isso, resolvi fazer até um resumo do que eu fiz no mês, que já fazia tempo que eu não trazia pra cá, e como tem gente que gosta, resolvi fazer.

    Eu gosto de fazer posts assim, porque depois eu sempre fico vendo o que eu fiz tal mês. Loucura? Talvez. Mas sério, é muito bacana tudo isso e é uma forma de gratidão também, pequenas coisas que fazem toda a diferença. Agora chega de mimimi e vamos direto ao que interessa. 
    // LINKS INTERESSANTES //


    // COISAS DA VIDA //


    Esse não foi um mês super cheio, mas algumas coisas acabaram tomando conta dele, deu pra entender? Eu não fiquei muito presente aqui no blog, mas consegui fazer o que tanto queria. No começo do mês, fui no show da Dulce Maria, tem até post aqui. Foi muito especial e eu já estou com saudades. 

    E também, no finalzinho desse mês, apresentamos o nosso tão temido TCC / Plano de Negócio. A ansiedade, o nervosismo e até o medo bateu na porta, mas graças a Deus deu tudo certo. Fico muito feliz que depois de tanto esforço e ensaio, deu tudo certo e muita gente gostou. Isso acabou tomando conta de mim, então vocês vão ver que esse mês não foi tão agitado assim. Ah, eu fiz até um textinho pra mim (sou dessas), dizendo que tudo ia dar certo, e deu.

    // O QUE ANDEI ASSISTINDO? //


    Já que eu não sou tão diferentona assim, também assisti a série 13 Reasons Why e quando terminei, não sabia nem o que dizer. Eu acredito que palavras nunca vão ser o suficiente pra expressar o quanto essa série é importante e o quanto nós temos que ter empatia pelo próximo. Tem vários posts e vídeos falando sobre a série, que também é produzida por nada mais nada menos que Selena Gomez. E lá no Filmow, cê pode acompanhar o que eu andei assistindo, viu?! 

    É claro que o Youtube não ia ficar de fora, né mores. Esse mês assisti e amei muitos vídeos da Vic Ferreira, afinal, teve VEDA no canal dela. Eu também curti muito os vídeos da Bruna Vieira e é claro que da linda da Flávia Calina, que trás uma paz indescritível. E gente, estou acompanhando uns canais bem bacanas e pretendo trazer post indicando, tá? Tá.


    // O QUE ANDEI ESCUTANDO? //

    No finalzinho desse mês, a Lea Michele lançou o álbum Places e só tenho uma coisa a dizer: tá lindo demais! Eu amo essa mulher e a voz dela é tão maravilhosa que eu nem consigo descrever. Anything Is Possible, Love Is Alive e Run to You são as favs (por enquanto). E ela também se reuniu com o Darren esses dias e eles gravaram algumas músicas que eu amei.


    O duo mais incrível desse mundo, também conhecido como Anavitória, lançou uma música linda esse mês, com uma parceria pra lá de bacana. "Fica" já tá na playlist e é muito amor por essas gurias! Escuta aí e sente um pouquinho dessa paz que elas passam pra gente.


    // O QUE ANDEI LENDO? //


    É isso mesmo, mores. Estou lendo Harry Potter e a Pedra Filosofal, mas como eu disse que esse mês foi meio corrido, ainda não consegui terminar, estava tão focada no curso que acabei esquecendo das leituras #chorando. Mas já que o pior já passou, vou é terminar de ler esse e ler os que tenho nas prateleiras, né? Já que sou a louca que tem vários livros na wishlist, hahaha. 
    Então é isso, minha gente. Como eu tinha dito, foi um mês bem corrido em que eu fiz só algumas coisinhas, mas que já tomaram conta, risos. Eu realmente espero que vocês tenham gostado.

    E como foi o mês de vocês? O que fizeram de bom? Quero saber, hein.
    Beijos! 

    11 de abril de 2017

    Eu fui: Show da Dulce Maria em Porto Alegre


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. Sei que ando meio sumida, mas estou em função de um trabalho do curso e assistindo algumas séries, como a nova da Netlix, que é produzida pela Selena Gomez, que é 13 Reasons Why, quem aí já assistiu? É demais.

    Quem me conhece sabe que sou fã do RBD e mesmo que a banda já tenha terminado, ainda acompanho eles em carreira solo, e infelizmente, nem todos continuam nesse mundo artístico, fazendo shows por aí, mas é aquele ditado, vamos fazer o que? E nessa última sexta, no dia 7, fui no show da Dulce Maria, a Roberta de Rebelde. E é claro que eu não ia deixar de compartilhar por aqui, criei o blog pra compartilhar coisas bacanas que acontecem comigo também. Vem ver:

    Fiquei sabendo do show da Dulce logo no início, a princípio, era pra ser em Novembro de 2016, mas como ela não tinha lançado o CD, resolveram adiar para Abril desse ano, o que foi muito melhor. Eu queria ir de meet, mas o preço não estava muito acessível, achei muito caro e apesar de amar muito ela, o meu apego é a Anahi, mas enfim. Fui de pista comum, como o show foi no Opinião, que é um lugar bem pequeno e que tu consegue enxergar de qualquer lugar, foi tranquilo. Tá, agora vamos ver como foi no dia do show? Vamos.

    Na mesma semana do show eu não conhecia ninguém que ia ir de pista, sério. Duas amigas minhas e mais um pessoal que eu conheço iam ir, só que de meet, então não ia adiantar combinar algo com eles. Até que essa mesma amiga minha, a Vitória, disse pra mim entrar no grupo que estavam combinando as coisas do show. Entrei e tinha uma galera que ia ir de pista, combinei com uma menina que ia chegar lá uma hora da tarde e ia se encontrar com outra que ia ir as oito da manhã. E como eu trabalho dia de semana (o show foi na sexta), ia sair do serviço e ir direto pra fila do show.

    Cheguei lá em torno das duas da tarde e fiquei que nem louca procurando a menina, passei por ela várias vezes e não reconheci. Nesse meio tempo, me encontrei com a Kamila e com a Vitória, duas amigas que foram de meet, pude matar a saudade e atualizar as nossas fotinhos. Mas voltando ao assunto, encontrei a menina e fiquei ali com ela e com um pessoal que era super bacana, e detalhe: eles estavam bem no começo da fila, tinha umas 4 ou 5 pessoas na frente.


    A cada VAN que chegava, todo mundo corria pra ver se era ou não a Dulce, coisa de fã minha gente. Até que chegou uma VAN e saiu a banda dela, daí já viu. Todo mundo gritando e quando vê sai a Dulce, com um casaco branco, achando que é inverno, com os seguranças do lado e a gente gritando. Ela deu um oizinho com a mão e já teve que ir. Achei fofa.

    Os portões abriram as 18:30h, praticamente ficamos a tarde toda na fila, naquele sol, mas o que a gente não faz pra não ficar tão atrás, né? Eu lembro que eu fiquei com muito medo, porque tinha comprado meia entrada e não tinha levado o comprovante, tá que eu tinha no celular, mas a gente pensa tudo na hora. E o resultado? Nem pediram nada gente. Só o ingresso e depois eles viam se tu não tinha bolsa pra ver o que tinha dentro e tal. É sempre assim, faço um puta drama pra uma coisinha de nada, risos.

    Como eu comentei antes, fui de pista comum, só que tinha a pista vip logo na frente. Mas como eu disse, o Opinião é bem pequeno e tu consegue ver em qualquer lugar, e não foi diferente. Ficamos esperando ali dentro, éramos os primeiros na grade da pista comum, nem no banheiro a gente foi, se não já viu... Enquanto as horas passavam, tocavam várias músicas e gente, quando tocou Sim Ou Não, parecia até o show da Anitta, juro pra vocês. Todo mundo começou a cantar, inclusive eu.

    Deu 20:00h e as luzes começaram a piscar e a banda já estava pronta. Todo mundo começou a gritar e os dançarinos entraram no palco, que por sinal eram lindos. Gritamos mais e mais. Até que a Dulce entrou, então já viu. Todo mundo gritando, pulando, gravando e assim vai. Foi lindo demais! A Dulce é muito amorzinho. Ela cantou umas duas músicas e depois começou a falar com a gente. E o melhor? Ela tentava falar português. Não só com a gente, mas em algumas músicas, como em Antes Que Ver El Sol, que ela canta com a Manu Gavassi. Ela misturou o português com o espanhol, tinham que ver que amor. 


    É claro que quando um artista vem pro Sul fazer show, a gente tem que gritar "AH EU SOU GAÚCHO" e com ela não foi diferente. A gente começou e ela tentou falar o mesmo e ainda disse "Ah, eu sou gaúcha", explosão de fofura. E teve uma hora em que ela espirrou quando tava falando com a gente, todo mundo riu, inclusive ela.

    Antes dela cantar o Medley RBD, ela começou falando que foram anos muito especiais e que ela vai guardar pra sempre. Nessa hora o meu coração quase saiu pela boca, já sabia o que estava por vir. Foi choro e muita gritaria na hora. Ela começou cantando Inalcanzable, um hino desses, bicho. E depois cantou mais umas duas músicas da banda. Depois que terminou, ela tava de costas e a gente começou a pedir pra ela cantar Fuego e ela virou e disse pra gente começar a cantar, e é claro que a gente cantou e em seguida ela continuou. Foi lindo e muito marcante! Clique aqui pra assistir um pouco do vídeo.

    Tiveram duas músicas em especiais, que ela passou uma mensagem muito linda antes, que foi No Pares e Te Quedarás. Em Te Quedarás, ela disse que as vezes as pessoas têm que ir embora, e que não importa a distância, se elas estão aqui, em outro país ou no céu, vão estar sempre conosco, em nossos corações, que é o que a música diz. E em No Pares, que vocês já devem conhecer, disse pra gente manter sempre a fé e correr atrás dos nossos sonhos, que vamos passar por dificuldades, mas temos que ter sempre fé, que é o que a música diz, né?

    O show foi lindo, super animado e especial. A Dulce volta daqui a três anos e eu quero ir de novo sim. Fico muito feliz dela lembrar da gente e muito grata por ter ido e ela ser essa pessoa incrível que é. Voltei pra casa com dois broches, um copo e muita saudade

    Foi um dos dias mais especiais da minha vida, sem dúvidas. Além de estar no show de uma das pessoas que mais me marcaram, conheci muita gente bacana e pude matar um pouco a saudade da minha banda favorita. Mais um sonho que eu risquei da lista! 
    E é isso meus amores! Eu amo compartilhar e ler posts assim. Tudo é possível e eu espero que vocês tenham gostado, de verdade.

    Qual foi o show que mais marcou vocês? Me contem, quero saber.
    Beijos! 

    29 de março de 2017

    Um pouco sobre a minha transição capilar


    Desde pequena eu comecei a criar complexo comigo mesma, principalmente com o meu cabelo, achava ele volumoso demais e não curtia isso. Lembro dos apelidos que davam pra quem tinha cabelo volumoso e me sentia culpada por isso. Nas mídias, só existiam cabelos lisos e dava a entender que o cacheado/crespo era o errado, não tinha um cabelo que me representasse, sabe?!

    Não lembro que idade eu tinha, mas quando eu era criança, vivia indo na cabeleireira pra elas fazerem um relaxamento, pra "abaixar o volume", aquele papo de sempre. Eu lembro que nunca dava certo, parecia que quanto mais ela relaxava, mais volumoso ele ficava e eu não aguentava isso, porque não gostava de volume.

    Até que prestes há fazer quinze anos, conversei com a minha mãe e pedi pra fazer uma selagem no meu cabelo (deixa o cabelo liso e abaixa o volume). No começo ficou a coisa mais linda, não vou negar. Era grande e escorrido e eu adorava isso. Vários elogios, várias fotos do cabelo e assim vai. Mas essa selagem dura cerca de dois a três meses e com o tempo o cabelo vai "voltando", sabe? Daí tem que retocar. E eu ia lá e retocava. Só que da mesma forma, depois de lavar o cabelo, eu tinha que ir lá e fazer chapinha, ou seja, era escrava da chapinha.


    Já fiquei sem lavar o cabelo por vários dias, porque depois de lavar, tinha que fazer a chapinha. A minha desculpa por usar cabelo liso era: "eu acho crespo bonito, mas dá muito trabalho e em mim não fica bom" OI? TUDO BOM? Logo eu, que todos os domingos ficava presa no quarto, quente pra caramba, fazendo chapinha, só pra agradar os outros. Lembro dessas cenas nitidamente. 

    A última fez que fiz essa selagem foi no ano de 2015, pra minha formatura. Preciso confessar que nesse mesmo ano, já tava pensando em assumir os meus cachos, mas não tinha coragem. Eu tinha medo, muito medo do que os outros iam achar do meu cabelo ou algo do tipo. E quando eu fiz essa selagem, não ficou a mesma coisa das outras vezes e eu mesma pensei: "depois da formatura, não vou mais fazer chapinha" dito e feito. Já que eu ia me formar e não ia mais ver as mesmas pessoas ~risos~ eu pensei, por que não?

    Comecei a minha transição em Janeiro de 2016. Parei de alisar o meu cabelo, não aguentava mais ser escrava da chapinha. No começo foi muito difícil, eu só usava ele preso, fiquei cerca de quatro meses com ele grande e sem nenhuma química, até que em Maio de 2016, resolvi cortar ele e começar a cuidar de verdade. Eu tinha muito medo de cortar e ficar de cabelo curto, nunca tinha tido cabelo curto. É claro que no início eu não sabia os produtos certos, a gente descobre depois de um tempo e de muitos testes. E como o meu cabelo era bem grande, cortei os 15 cm pra doar e fiquei muito feliz!



    E pra quem não sabe, transição capilar é basicamente isso aí! A gente para de usar química no cabelo e deixa ele crescer naturalmente. Hoje em dia, existem muitos canais no Youtube e Blogs com dicas pra quem está voltando aos cachos, então, acaba ficando mais fácil pra gente. 

    Outra coisa que eu só fui aceitar no final do ano passado: o meu volume. Mesmo deixando ele crescer naturalmente, eu ainda tinha muita vergonha do meu volume. Só que eu vi tanta, mas tanta gente, principalmente que eu acompanho pela Internet, com um volume lindo pra caramba e pensei "por que EU tenho vergonha de usar ele solto? ele é lindo, bicho" e lá foi eu de cabelo solto pro estágio e pro curso. Me senti tão, mas tão bem, tão livre e feliz. Recebi alguns elogios e é claro que fiquei feliz, mas o que me deixou mais feliz ainda foi o fato de eu ter aceitado como ele realmente é. Vai ter volume sim!

    É indescritível o que eu sentia e ainda sinto ao ver os meus cachos crescerem naturalmente. Dá trabalho? É claro que dá. Mas eu sinto muito prazer e fico muito feliz ao cuidar ele. Só quem já passou ou está passando pela transição, sabe o quão gratificante e o quanto que você se sente livre! A gente liga o foda-se para os comentários e começa a se aceitar de verdade. 

    Eu sei que depois que assumi os meus cachos, mudou muita coisa em mim e não foi só o meu cabelo. Acho que o que muda na verdade, é no nosso interior. Lidar com duas texturas, não é uma coisa fácil. Lidar com comentários negativos, é pior ainda. Transição é um tempo de mudanças, é como se você estivesse nascendo de novo, sabe? Eu pelo menos me senti assim. Sem sombra de dúvidas, foi uma das melhores decisões que eu já tomei em toda a minha vida.

    Tenho muitas inspirações na minha transição capilar e pretendo compartilhar com vocês algumas pessoas que me inspiraram a fazer (e continuar) com a transição. E se vocês quiserem mais posts sobre esse assunto, é só comentar aqui em baixo que eu vou adorar.

    Se vocês, assim como eu, já passaram, pensam em passar ou gostam de ler histórias assim, me contem nos comentários o que acharam! Quero muito saber. 

    Beijos! 

    17 de março de 2017

    Meus casais de séries favoritos


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. Feliz por já ser sexta feira e por não estar mais aquele calor desgraçado. Bom, me contem o que pretendem fazer no final de semana, se você for pegar a pipoca e assistir Netflix, me abraça aí!

    Eu sou a louca das séries e a louca dos casais, tudo que é casal eu já tô shippando (pra quem não sabe, o termo shippar vem de relationship, ou seja, quando alguém diz que está shippando, significa que está torcendo pelo casal) e sofrendo junto com eles sim, sou dessas. E hoje, resolvi selecionar alguns casais que eu gosto pra caramba nas séries. É claro que faltou nessa lista vários casais de algumas séries e tem várias que eu shippo muitos casais, mas resolvi selecionar um de cada. Vem ver: 
    Rachel e Finn - Glee


    Falar sobre eles dói um pouco, sinto um aperto enorme. No começo, fiquei meio assim com os dois juntos, pelo fato de ter uma relação de amor e ódio com a Rachel, mas depois foi só amor. O que eles sentiam um pelo outro era algo tão verdadeiro, que fazia bem pra ambos, uma pena o nosso Quarterback ter ido embora. Foi um casal muito especial, nunca vi igual. É impossível falar deles na série sem lembrar a vida real, me perdoem. Apesar de todos os apesares, foi um casal em que eu aprendi muita coisa e mesmo ele não estando mais entre nós, vai estar sempre em nossos corações. E sem palavras pros duetos!

    Tony e Maxxie - Skins


    Se existe um otp mais injustiçado que esse, eu desconheço. Logo na primeira temporada, já comecei a shippar por conta de um acontecimento (sem spoilers), e logo depois do (desculpa, olha o spoiler) acidente do Tony, o Maxxie ajuda ele em absolutamente tudo e os dois formariam o casal mais lindo desse mundinho. Eu acho linda a forma de como o Maxxie cuida do Tony e do quanto que ele se sentia seguro perto dele, a meu ver, foi muito mais que uma amizade. Sonhei e fui trouxa, como sempre. 

    Isak e Even - Skam


    Desde quando comecei a assistir Skam, procurei pela série e só tinha gifs desse casal, que é da terceira temporada, todo mundo enaltecendo e eu já tava louca pra chegar na temporada pra ver se era realmente tudo isso. E GENTE DO CÉU! A gente shippa no primeiro olhar, na primeira fala, é sério. O jeitinho dos dois é tão amor, o jeito de como eles se falam, um rindo pro outro... A forma de como um cuida do outro, amo muito! 

    Blair e Chuck - Gossip Girl


    Bom, eu não posso falar muito sobre esse casal por motivos de: não terminei a série ainda. Mas se tem um casal que só de ver, eu já me derreto toda, esse casal é a Blair e o Chuck. É um casal bem complicado e bastante competitivo, a gente torce e sofre por eles, não vou mentir. São aquelas duas pessoas que se gostam, mas não querem dar o braço a torcer, sabe? Impossível não amar, fala sério.

    Amy e Karma - Faking It


    Eu tenho um carinho muito especial por essa série, foi uma das primeiras que eu comecei a acompanhar. Apesar de todos os apesares, Amy e Karma vão ser sempre os meus dengos. Sim, eu sei que a amizade é em primeiro lugar sempre, mas só de ver as cenas das duas juntas, os beijos e abraços, já fico toda boba. É um casal (pode ser só na amizade também) que significa e representa muito! Vocês que são fãs da série, assim como eu, já leram a carta do criador da para os fãs? Se não leram, é só clicar aqui e chorar junto comigo. 

    Rae e Finn - My Mad Fat Diary


    Eu lembro que no início eu não curtia muito o Finn, mas a Rae também não curtia, então tá tudo bem. Mas depois tudo muda e vira amor, eu adoro as safadezas da Rae, não vou negar. O Finn é o tipo de pessoa que a gente quer guardar dentro de um potinho, sou apaixonada. Mesmo sendo duas pessoas bem diferentes, parecem tão iguais e eles foram feitos um pro outro, sabe? Amo a maneira de como eles se respeitam e toda a história deles juntinhos.

    Nomi e Amanita - Sense8


    Foi difícil escolher um só casal, mas fiquei com essas duas. Eu amo que a Amanita compreende a Nomi em tudo e tá sempre do lado dela, tanto nos momentos bons como nos ruins, sempre apoiando e respeitando, e isso é recíproco. É um casal que é impossível não gostar e que a gente torce toda hora pra que tudo dê certo e que elas continuem juntas. Elas são muito mais que namoradas, acima de tudo, são grandes amigas. Amo, amo, amo! 
    Já viu?

    E é isso, meus amores! Quero saber quais são os casais das séries que vocês shippam, será que um desses também é o favorito de vocês? Quero saber, hein.

    Beijos. 
    © Quebrar o Silêncio - 2016 | Todos os direitos reservados.
    Desenvolvimento por: Fairy Dream Design | Tecnologia do Blogger.
    imagem-logo