• home
  • sobre
  • contato
  • favoritos
  • 101 em 1001
  • 23 de julho de 2017

    5 filmes que assisti recentemente e amei

    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu sei que tô sem postar desde o comecinho desse mês, mas agora tenho mais tempo pra ficar por aqui e retribuir todos os comentários, meu curso já terminou e eu nem acredito nisso, um ano e meio de muito aprendizado e passei com uma média muito boa AAAAAAH, agora sou técnica de Adm. e agora é estudar pra ir bem no vestibular, né não? Que eu ainda não sei do que, mas vida que segue.

    Eu estava meio sem tempo, mas recompensava assistindo filmes e séries nos fins de semanas, e nessas últimas semanas assisti uns filmes super bacanas e como a maioria das pessoas estão de férias, vim aqui indicar alguns pra vocês. Então, hoje vou compartilhar com vocês os cinco filmes que assisti recentemente e amei demais! Vem ver:
    ❥ O Mínimo para viver

    Para assistir ao trailer, clique aqui.
    Quando vi o trailer do filme eu já fiquei doida pra assistir, sou suspeita a falar, mas gosto muito de ver e de tentar entender um pouco sobre esses assuntos. Logo no início, já somos avisados das cenas fortes e realmente, são bem pesadas. É um filme feito para o público jovem, mas que independentemente da idade faz você refletir sobre. A anorexia e a bulimia não são besteiras e ninguém que está passando por isso quer estar nessa situação. Eu esperava um pouco mais do final, fiquei curiosa em relação a algumas coisas, só por isso que não dei cinco estrelas. E que atuação magnifica da Lily Collins! É de arrepiar.

    Sinopse: Uma jovem está lidando com um problema que afeta muitos jovens no mundo: a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável, a moça passa os dias sem esperança. Porém, quando ela encontra um médico não convencional que a desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, tudo pode mudar.

    ❥ Okja

    Para assistir ao trailer, clique aqui.
    Eu não sei nem por onde começar, é uma mistura de emoções. Só de pensar nesse filme as lágrimas já começam a cair, ele conseguiu me tocar de uma forma indescritível. É aquele tipo de filme que já tem que tá com o lencinho do lado e se preparar psicologicamente. É um filme muito surpreendente, reflexivo, triste e emocionante. Infelizmente, é a realidade e nos faz parar e pensar sobre essa indústria e de como essas pessoas enxergam os animais, no fim, eles só querem lucrar. E quando me perguntarem o motivo de eu ter parado de comer carne, vou dizer pra assistirem esse filme, que por sinal, não vou superar tão cedo. E que elenco incrível!

    Sinopse: A trama acompanhará Mija, uma jovem garota que deve arriscar tudo para evitar que uma poderosa empresa multinacional de sequestrar sua melhor amiga: um animal enorme chamado de Okja.

    ❥ As Faces de Helen

    Para assistir ao trailer, clique aqui.
    Estava conversando com uma amiga e ela comentou sobre o tratamento de choque na depressão, eu não entendi muito bem e ela disse que era pra eu assistir esse filme pra entender melhor. É um filme pesado, mas necessário. Depressão, bipolaridade e todas as doenças mentais não são frescura coisa nenhuma e no filme, a gente consegue entender um pouquinho sobre a vida da personagem e todos os desafios que ela passou, as coisas que ela deixou de lado e como realmente é viver assim. Já preparem os lencinhos!

    Sinopse: Helen Leonard é uma mulher bem-sucedida que tem um casamento feliz e um relacionamento harmonioso com sua filha. Porém, existe algo que ela tem um segredo: sua bipolaridade, que surge como um surto devastador, transformando sua maneira de enxergar a vida. Agora, sua família e seus amigos tem a missão de fazê-la perceber que a vida continua bela.

    ❥ A Bela e a Fera

    Para assistir ao trailer, clique aqui
    Eu queria assistir quando lançou no cinema, porque é uma das minhas animações favoritas da Disney, mas não consegui. E o que falar desse filme que eu já amei quando descobri que a nossa Bela seria ninguém mais ninguém menos que Emma Watson? Ó Deus, muito amor. As cenas, as músicas, os atores, todas as características dos personagens da animação, tudo se encaixou perfeitamente. Lindo demais! 💖

    Sinopse: Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela tem o pai capturado pela Fera e decide entregar sua vida ao estranho ser em troca da liberdade dele. No castelo, ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é, na verdade, um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana.

    ❥ Mãos Talentosas

    Para assistir ao trailer, clique aqui.
    Esse filme eu já assisti tem um bom tempo, mas eu gostei tanto que vou indicar ele por aqui também, tá? Tá. Eu assisti na aula, o meu professor passou pra gente e confesso que saiu até uma lágrima. É sobre persistir naquilo que se acredita e não ligar para o que os outros vão pensar, sobre ter pessoas que acreditam no teu potencial, que nesse caso, é a mãe dele que sempre incentivou ele a estudar mais e mais. É inspirador, juro pra vocês.

    Sinopse: Ben Carson, menino pobre de Detroit, sempre levou uma vida desmotivada, já que tirava notas baixas e não tinha perspectivas de um grande futuro. O que ele e os que estavam ao redor não esperavam era que ele se tornaria um neurocirurgião de fama mundial.
    E essas foram as minhas indicações! Eu tava morrendo de saudade de assistir bons filmes e indicar por aqui. Quem já está de férias, curte muito e aproveita pra assistir um desses filmes e depois me contem o que acharam. E se quiserem me indicar algum, eu vou adorar.

    Já assistiram algum desses filmes? O que acharam? Me contem, quero saber.

    Beijos! 

    1 de julho de 2017

    Resumo do mês de Junho


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem, de verdade. Demorei pra aparecer, mas apareci. O frio chegou daquele jeito por aqui e a vontade de continuar dormindo também, pena que não dá, né? 

    Mais um mês se encerra e com ele mais um resumo do mês por aqui. Parando pra pensar, falta bem pouco pra terminar o ano e eu não sei se fico feliz ou triste. Bom, chega de blablabla e vamos ao que interessa. Vem ver: 
    // LINKS INTERESSANTES //

    // COISAS DA VIDA //


    No post anterior eu já contei como foi reviver um sonho. Sou muito fã do Edu e tive a oportunidade de ver ele mais uma vez. Só pela foto já da pra ver a felicidade da pessoa, né? Nesse mês também foi o aniversário da minha mãe, a qualidade não tá lá aquelas coisas, mas o que vale é a intenção.

    No único feriado que teve no mês, a minha tia, alguns primos e amigos da minha mãe vieram pra cá almoçar, e o almoço saiu de tarde, risos. Foi nesse mesmo dia que eu tirei essa foto fazendo biquinho com a minha tia, tenho um amor surreal por ela e sei que é uma mulher muito, mas muito forte.

    Meninas que não podem ver efeito de gatinho/cachorro/ratinho e já querem tirar foto me add. Eu acho tão fofinho, aizi. Não tinha comentado nada, mas o meu estágio terminou e isso resultou numa recente contratação, por isso que ando meio ausente, passei meu curso pra noite (falta pouco pra terminar agora) e a rotina mudou completamente. Mas vida que segue, né não? 

    // O QUE ANDEI ASSISTINDO? //


    Primeiramente: Tô feliz (nem tanto) que vai ter o último episódio de duas horas de Sense8. Que bom que eles ouviram as nossas preces. Segundo: Outra série que eu tanto amo chegou ao fim, que é Skam. É uma série que aborda temas bem importantes e eu fico muito feliz de ter assistido, já tô com saudades.

    Eu assisti alguns filmes bem bacanas também, pretendo trazer post dos últimos que assisti, mas ando tão sem tempo que não prometo nada. Mas se tu quiser saber quais foram, é só me adicionar lá no Filmow. E se quiserem me indicar algum, eu vou amar.

    Um vídeo de utilidade pública! Eu gosto muito dos vídeos da Bel, sempre com temas muito interessantes e dessa vez não foi diferente. Ela contou um pouquinho sobre a polêmica que teve com a Maisa e gente, assistam esse vídeo, concordo com ela em todos os aspectos. Depois me contem, tá? Não somos obrigadas a nada.


    // O QUE ANDEI ESCUTANDO? // 

    QUE EU VOU JOGAR BEM NA SUA CARA, TARARATANTAN. Vício total nesse hino. Anitta já arrasa sozinha, se juntou com Pabllo e não foi diferente. Eu também tô viciada em Paradinha, sim, da própria Anitta, se reclamar vai ter mais.


    OLHA QUE PISÃO! O que falar dessa música, desse clipe, dessa representatividade, de todo esse poder e dessas mulheres incríveis? Não aguento. Eu amei demais! Escutem aí e depois me contem o que acharam desse lacre.


    Eu não tenho nem palavras pra essa homenagem. Foi algo tão triste, mas fico feliz em saber que ela não desistiu e de ver tanta gente se manifestando sobre. Se eu pudesse eu colocava todas as músicas que cantaram nesse show, porque foram todas muito emocionantes e do coração. Coloquei Where Is The Love porque essa música já diz tudo e eu estou viciada. Don't Dreams It's Over foi lindo e emocionante também! 💖

    E é isso minha gente! Até que o mês passou rapidinho e aconteceram coisas bem bacanas, uma das minhas metas pra esse mês é me atualizar em algumas séries, risos. E que Julho seja super iluminado pra todos vocês! 💫

    E como foi o mês de Junho pra vocês? O que fizeram de bom? Me contem, quero saber.

    Beijos! 

    17 de junho de 2017

    Sobre reviver um sonho


    Sobre realizar um sonho novamente: é indescritível. Quem acompanha e me conhece já sabe que em 2014 eu conheci pessoalmente o Eduardo Sterblitch, pra quem não conhece, é o cara que fazia o Poderoso Castiga, o César Polvilho, O Melhor do Mundo, o Freddy Mercury Prateado e entre outros. 

    A primeira vez que conheci ele pessoalmente foi há cerca de três anos atrás, lembro que ele tava com uma peça em cartaz e veio pra minha cidade, não ia conseguir ir, porque era o aniversário de quinze anos da minha prima. Só que eu consegui ir no aeroporto pra ver ele. Pra ler o post que eu fiz na época, é só clicar aqui. Eu era bem doidinha, chorei e tudo. Drama é comigo mesmo, né mores.

    Eu fiquei sabendo que ele ia vir pra cá no mês passado e já corri pra saber de todas as informações possíveis. Era em um sábado e um domingo. Eu fui no sábado, ia ir com mais umas amigas, todas as fãs gaúchinhas juntas, mas no fim foi só eu e uma outra fã, com os pais dela. A companhia dela valeu super a pena! É sempre bom compartilhar esse tipo de sonho com alguém que entende isso, né?

    Eu sei que eu sou suspeita a falar, mas vamos lá. A peça se chama "Eduardo Sterblitch Não Tem Um Talk Show" e como o nome já diz, é exatamente isso. É como se fosse um Talk Show e ele interage muito com o público. Chama as pessoas pra ir pro palco, faz perguntas pra quem ele quer e tem a companhia de mais três pessoas, que também animam tudo.


    É uma peça muito divertida e sempre tem uma surpresa. E não, ele não está lá como mais um personagem do Pânico, afinal, ele não faz mais parte. É claro que ele dá uma palinha, mas não esperem tanto assim. E eu achei isso muito melhor. Como ele mesmo disse, ele é um artista e tem muito talento, as vezes é preciso deixar as coisas que te marcaram de lado pra viver novos desafios, entende? Por acompanhar ele tanto tempo, fico muito feliz de todo esse amadurecimento, tanto pessoal como profissional. 

    Depois que a peça terminou, nós esperamos pra dar um abraço nele e tirar as fotos. A fila já tava meio grande, mas estávamos na metade. Ainda aproveitamos e tiramos foto com o Rafa Queiroga, que também faz parte, um fofo. Esperamos cerca de 30 minutos e depois o cara que tava lá, disse que a foto a fotografa que ia tirar, eu fiquei meio chateada mas pensei pelo lado bom: a qualidade vai ser bem melhor

    Como eu disse antes, eu estava com mais uma menina, era a primeira vez que ela ia ver ele então ela foi primeiro. Foi lindo de se ver. Fiquei muito feliz e ele foi tão querido. Ela pediu pra tirar selfie e ele tirou (no fim, tava todo mundo tirando foto do celular também). Eles se abraçaram várias vezes até que chegou a minha vez.


    Eu já tava toda boba, sorrindo de orelha a orelha. Eu olhei pra ele e fui direto pro abraço. Eu disse que da primeira vez que eu vi ele eu chorei muito, daí ele brincou dizendo: "ah, mas agora já amadureceu né", todo palhaço, tinham que ver. Eu abracei e tiramos a foto. E eu falei que eu tinha uma coisa pra mostrar pra ele, que era o meu caderno que eu tenho com a fotinho dele (sim!!!!), ele viu e deu um sorriso. Ainda disse: "nossa, a minha mãe ia amar isso cara" e ainda abriu o meu caderno pra tirar foto e deu um sorrisão, todo feliz. Se eu morri ali? Talvez. Perdi a conta de quantas vezes abracei ele e no final, a menina que tava comigo perguntou se nós duas podíamos tirar foto juntas e ele disse: "é claro" e já foi sorrindo pra foto. 

    Vocês lembram desse post aqui em que eu mostro os meus cadernos personalizados? Então, eu levei pra mostrar pra ele. Eu fiz esse caderno em 2015 e nunca passou pela minha cabeça que ele fosse ver. Faço esses meus cadernos porque são pessoas que me inspiram de alguma forma. Fico muito feliz de ter mostrado pra ele! 💖

    Mais um desses meus encontrinhos que eu vou guardar pra sempre no meu coração. Eu sei que tem gente que não entende essa coisa de ser , é uma coisa meio louca, mas é muito recompensador. Da primeira vez eu só consegui ir no aeroporto, mas consegui abraçar ele. Da segunda vez consegui ir na peça, abraçar ele, bater um papo e ainda mostrei o meu caderno. Sério, se você pode realizar uma vez, pode realizar várias vezes! Então, não desiste não.
    Eu fico muito feliz de compartilhar esses sonhos por aqui! E gente, vou ficar um pouco ausente por aqui, minha rotina vai ficar bem pesada durante um mês, mas depois conto tudo pra vocês. Sempre estarei de olho nos comentários, viu?

    Ah, se a peça passar pela tua cidade eu só te digo uma coisa: . É risada na certa, sem sombra de dúvidas.
    Quem vocês sonham em conhecer? Me contem, quero saber.
    Beijos! 

    7 de junho de 2017

    5 motivos para assistir Dear White People


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Comigo tá tudo bem, o friozinho tá chegando e eu só quero ficar deitada assistindo Netflix, e por falar nisso, comecei a assistir algumas séries e uma delas é o assunto do post, que vocês já devem saber. 

    Pra quem não sabe, Dear White People (Cara Gente Branca) é uma série baseada em um filme do mesmo nome. A série é sobre um grupo de estudantes negros que enfrentam o racismo estrutural de uma universidade americana elitista. Quando o trailer foi lançado, muitas pessoas se revoltaram e falaram que iam cancelar a assinatura da Netflix, acusando de racismo reverso. E apesar do nome dela, ela não é uma série sobre pessoas brancasE hoje eu trouxe cinco motivos pra vocês assistirem essa série! Vem ver:

    1. Foca em temas importantes

    Feminismo, homossexualidade, protagonismo negro, solidão da mulher negra, colorismo, relacionamento inter-racial... Eu poderia ficar falando todos os temas importantes que a série aborda, é claro que alguns eu vou falar logo mais, só que são tantos que até me perco. Alguns assuntos eles acabam tratando de forma mais leve, como a homossexualidade e outros eles só jogam e fica no ar, sabe? Pra gente pensar sim. 

    2. Cada personagem tem a sua voz

    Sam tem um programa na rádio e por lá, ela aborda sobre todos os acontecimentos e assim como o Reggie, se dedicam muito no movimento. Temos a Coco, que a gente acompanha todo o processo dela e todos os conflitos que ela passou pra tomar a postura que ela tem. Também temos o Lionel, que temos alguns pontos em comum, ele é todo introvertido e mesmo não falando muito, ele consegue fazer uma revolução com as palavras. E não podemos esquecer da Joelle, que acredita que as vezes ser negro e despreocupado é um ato de revolução

    3. A violência policial

    No episódio cinco, que tem uma das cenas mais tensas da série, a gente observa isso. É um chute no estomago. A violência policial contra pessoas negras é sério pra caramba e é a mais pura realidade. Todos nós sabemos que o negro tem mais chance de ser preso e de morrer, só não vê quem não quer. E você provavelmente já deve ter conhecido alguém que já recebeu um olhar torto de um policial e uma das cenas mais emocionantes da série, é justamente sobre isso. É de partir o coração, juro pra vocês.


    4. O mito do racismo reverso

    Racismo reverso não existe e ponto final. Ser branco nunca fez com que alguém fosse impedido de entrar em alguma loja muito cara ou ser chamado de "branquelo" ou "loiro albino" a vida inteira, não faz com que você seja uma vítima ou um motivo pro racismo. Existe todo um contexto histórico, que vocês já devem saber. Os alunos brancos da universidade não conseguem compreender os seus privilégios, então acabam achando injusto o programa da Sam e os protestos. Se você acha que racismo reverso existe, eu indico assistir esse vídeo aqui e pensar um pouco sobre.

    5. Tem na Netflix e os episódios são curtos

    Dois em um! Só de ter na Netflix já é um motivo pra assistir, concordam? Sem contar que os episódios são em torno de trinta minutos, olha que maravilha. E por isso, ela não se torna tão pesada, sabe? Mas a gente termina rapidinho, porque são apenas dez episódios. E se você não tem conta por lá, pode assistir em outros sites onlines e maratonar, assim como eu. 


    E esse é o trailer dessa primeira temporada! Logo quando lançou foi uma polêmica e muita gente acabou se revoltando, mas é aquele ditado, não dá pra agradar todo mundo, né? 
    Espero que vocês tenham gostado e que alguns desses motivos tenham convencido vocês. E se vocês já assistiram, me contem aqui em baixo se vocês gostaram da série ou não, vamos bater um papo. 


    O que acharam? Já assistiram a série? Me contem, quero saber.
    Beijos! 

    1 de junho de 2017

    Resumo do mês de Maio


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. Apenas detestando essa chuva, muitos lugares ficam alagados e quem gosta disso, né? Ah, acabei de descobrir que Sense8 foi cancelada, não sei nem o que dizer. 

    Bom, mais um mês se foi e eu adoro fazer esses resumos mensais por aqui, vocês já estão carecas de saber. E o que falar do mês de maio que demorou anos pra terminar? Parecia até agosto, socorro. Enfim, vamos ao que interessa. Vem ver: 
    // LINKS INTERESSANTES //

    // COISAS DA VIDA //


    Em um sábado, umas tias foram lá pra casa da minha outra tia (já perdi a conta de quantas tias/primas eu tenho), foram fazer uma visita já que ela está passando por uma fase meio conturbada. E eu e a minha mãe fomos também, tomamos café, matamos a saudade e eu e o meu primo tiramos várias fotos com o celular da nossa prima, porque quando a câmera é boa a gente tem que aproveitar, né? Risos.

    Eu também fui assistir a peça Adolescer, que o meu primo (o mesmo da foto) participa, nesse último final de semana. Foi no teatro mais antigo e lindo daqui de Poa, foi uma apresentação incrível em comemoração aos quinze anos! Depois fui tirar foto com o elenco, mesmo já ter ido assistir diversas vezes, eu vou lá e quero sempre foto, sou dessas. E lembram desse post aqui que eu indiquei uns canais? A Nath e o Pietro que eu indiquei participam também e foram super fofos comigo. Gratidão! 💫

    E eu passei em Matemática financeira, juro que as vezes eu acho que sou de exatas, vai entender. Eu também passei uma tarde com as minhas amigas do estágio e outra com o meu pai, mas nem tirei foto nem nada. Só eu que esqueço de registrar momentos assim? Mas é a vida.

    // O QUE ANDEI ASSISTINDO? //


    ACABEI DE DESCOBRIR QUE SENSE8 FOI CANCELADA, EU NÃO ACREDITO, SOCORRO. Desculpem o desespero, mas queria que isso fosse mentira. Eu não sei nem o que falar dessa segunda temporada de Sense8. Chorei, sorri e chorei de novo. Tantas lições que essa temporada passou, né? Eu precisava saber o que aconteceu com o Wolfgang, que final foi aquele, gente? Meus bebês. 

    Eu também comecei a assistir The Fosters e tô adorando, amo essas séries "famílias" e cheias de lições em cada episódio. Ah, também comecei a assistir, inclusive já terminei, a série Dear White People, que é original da Netflix, nem vou comentar muito, porque quero fazer post falando sobre essa série que trata de um assunto tão importante. 

    E o Youtube não vai ficar de fora. O que falar desse vídeo do Castanhari? Sem palavras. Tão bom saber que ele tem um público bem grande e fala sobre esse tipo de assunto. Não entendo e nem me sinto muito confortável em relação a política, me sinto meio perdida e sem sombra de dúvidas esse vídeo me ajudou pra caramba. Espero que ajude a você também! Depois me conta, viu? 


    // O QUE ANDEI ESCUTANDO? //

    Camila Cabello eu te venero! Gente, que música maravilhosa. O que falar dessa batida, dessa voz e desse clipe? Já tô esperando mais um lacre. Vício total. Escutem e me digam o que acharam, e se já escutaram, tá esperando o que pra comentar aqui em baixo?


    Alerta fã de HSM! A Ashley Tisdale e o Lucas Grabeel, ou melhor, a Sharpay e o Ryan Evans publicaram esse vídeo deles cantando What I’ve Been Looking for, olha só que nostalgia. Quando eu vi nem acreditei! Ela já cantou com a Vanessa e eu amei, agora cantou com o "irmãozinho" e ainda de HSM, é demais pra todos nós, né?


    O meu resumo foi bem curtinho, né? Não fiz tantas coisas assim, mas só de ter me atualizado em alguns seriados e ter saído em alguns finais de semana já valeu a pena. Não coloquei o que estou lendo, porque esqueci da foto, risos. E que o mês de Junho seja lindo e muito iluminado pra todos vocês! 💖

    E como foi o mês de Maio pra vocês? O que fizeram de bom? Me contem, quero saber.
    Beijos! 

    19 de maio de 2017

    6 músicas de Glee que me emocionam


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. E esse tempo meio louco? Saio de casa cheia de casacos e depois fico com calor. Finalmente já é sexta feira, me contem o que vocês pretendem fazer nesse final de semana, eu quero ficar em casa atualizando as minhas séries mesmo, risos.

    Quem acompanha o blog já sabe que eu sou louca por Glee e hoje fazem oito anos que o primeiro episódio foi ao ar. Mesmo não acompanhando desde o começo, o amor é o mesmo. Então, resolvi selecionar algumas músicas que mais me marcaram e me emocionaram ao assistir essa série. E não, não está em ordem de preferência. Vem ver: 
     Don't Stop Believin'


    Não tem como ouvir um hino desses sem lembrar de Glee, me perdoem. Logo no primeiro episódio, eles cantam Don't Stop Believin' e ao ver eles fazendo essa performance porque eles queriam que o Will continuasse sendo o professor deles, a gente já consegue perceber o quanto essa série é especial. Vocês sabiam que essa cena demorou um dia e meio pra ser gravada? E todo esse tempo valeu a pena. Nos shows que a Lea fez, ela cantou essa música, o fandom enlouqueceu. 

    "Não pare de acreditar, se segure na sensação, luzes da rua, pessoas..."

     Make You Feel My Love


    Eu acredito que palavras nunca vão ser o suficiente pra expressar o quanto esse episódio me marcou (e o quanto eu chorei). O tributo ao Finn foi um dos episódios mais especiais e difíceis de assistir, imagina pra quem tava lá. Ao assistir as homenagens, que por sinal foram todas lindas, a gente pode perceber que nada daquilo foi atuação. Cory foi uma pessoa incrível e eu fico muito feliz de saber que a Lea, que era namorada dele na época, ainda canta Make You Feel My Love nos shows dela, a gente consegue sentir um pouquinho desse amor.

    "Eu poderia fazer você feliz, fazer os seus sonhos se tornarem realidade, não há nada que eu não faria, iria até o fim da terra por você, para fazer você sentir o meu amor."

     Beautiful


    A música na versão da Christina já é linda e super importante, agora com a voz da Mercedes ficou um lacre. Eu lembro que caiu uma lágrima quando eu assisti, porque a Mercedes é obrigada a fazer uma dieta pra ter que entrar na Cherrios, então, ela acaba expressando e falando tudo que tem pra falar através da música e a gente consegue perceber tudo isso, o quão sufocante é ter que lidar com esse tipo de coisa e é triste saber que muitas mulheres ainda passam por isso. Qualquer comentário ou atitude, podem afetar a autoestima de alguém, então, muito cuidado, viu?

    "Eu sou bonita, não importa o que eles digam, palavras não vão me fazer cair, eu sou bonita de todas as maneiras, sim, palavras não podem me abalar, oh não, então não me abale hoje." 

     Shake It Out


    Essa performance é um arraso, bicho. Nesse episódio, as meninas fazem uma piada com a treinadora que estava com o olho roxo, dizendo que ela tinha apanhado. Só que elas estavam certas. É tão importante quando uma série traz assuntos assim, na qual a gente precisa prestar atenção SIM! É um episódio que abre os olhos para os relacionamentos abusivos. Então, elas resolvem cantar essa música e gente, ficou muito lindo na voz delas.

    "É difícil dançar com um diabo nas suas costas, se eu tivesse metade da chance, eu faria tudo de novo. É um romance bom, mas me deixou tão incompleta, é sempre mais escuro antes do amanhecer." 

     Cough Syrup


    Esse aqui é pesado. A interpretação do Darren foi linda e muito emocionante, na verdade, o episódio em si é assim. Confesso que antes essa música nem tinha chamado muito a minha atenção, mas depois de já ter terminado a série, parei pra assistir uns episódios aleatórios e fui assistir esse. Eu queria tentar não dar nenhum spoiler, mas já dei quando falei das outras ali em cima, só que nessa aqui, é só você assistir esse vídeo da música que já dá pra entender. Só sei que precisamos falar mais sobre a homofobia e o suicídio!

    "A vida é muito curta para se preocupar com tudo, eu estou perdendo a cabeça, perdendo o controle." 

     This Time


    Eu desabei quando escutei essa música, ainda mais na voz da Rachel. Confesso que desabei também porque era o último episódio, então somou tudo. This Time fala um pouquinho de toda a trajetória deles, de todas as batalhas que eles perderam ou ganharam e do quão grato eles são por terem feito parte disso tudo. Eu não imagino outra pessoa cantando se não a Rachel, ela foi a pessoa certa. E o melhor de tudo é que quem escreveu foi o Darren Cris, o Blaine da série, ou seja, ele soube exatamente o que falar pra encerrar esse ciclo e mandou muito bem. A última música que eles cantam também me marcou pra caramba, juro que essa escolha foi bem difícil.

    "Quando eu procurava aquele holofote, eu estava olhando para mim mesma, superei o que eu tinha medo, mostrei pra todos do que eu era feita, mais que troféus em uma prateleira." 
    Espero que tenham gostado dessa playlist. Foi difícil escolher só seis músicas, é que se eu colocasse todas, o post ia ficar gigante, daí já viu. Eu devo ter esquecido de algumas, perdoa aí. Todas essas me marcaram de alguma forma e sempre quando eu escutar, seja até mesmo a versão original, vou lembrar deles.

    Quem aqui já assistiu Glee? Qual música mais te marcou? Me contem, quero saber.

    Beijos! 

    10 de maio de 2017

    Profissões | Psicologia

    Foto: Pinterest.
    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. Fiquei muito feliz com os comentários do post anterior, é muito bom saber que vocês gostam de ver esse tipo de conteúdo por aqui.

    Quem me conhece sabe que eu sempre tive muita dúvida em relação ao meu futuro profissional, entre idas e vindas, resolvi abrir uma categoria aqui no blog em que eu entrevisto algumas pessoas sobre determinado curso. Já tem sobre Cinema e Jornalismo, felizmente voltei com essa categoria e dessa vez, o curso é um que chama a atenção de muita gente: Psicologia.

    Entrevistei a fofa da Mari, do blog Marina Alessandra. Ela já está no quinto período de Psicologia, ama falar sobre esse curso e isso é muito bacana, já fica aqui o meu muito obrigada, viu? Então, vamos ao que interessa.

    1. Por que você decidiu cursar Psicologia? Você sempre teve certeza dessa escolha?

    Então, eu sempre quis esse curso. Sempre MESMO! Desde quando começaram a falar/pensar em vestibular, eu já sabia o que eu queria. Mas não sei porque, DO NADA, eu fiz Nutrição (pra quem não sabe, fiz um ano e meio desse curso). Até hoje me pergunto o que deu em mim ter feito, mas enfim. Então sim, sempre tive certeza da minha escolha, apesar do deslize que dei. (risos)

    2. Como você se preparou para o vestibular?

    Na verdade, eu sempre quis fazer meu curso numa faculdade particular. Nada contra as públicas, mas isso sempre foi uma opção minha. Então, sem menosprezar as particulares, por um lado foi mais fácil. A pressão não foi tão grande pra passar no vestibular de lá, na verdade, é beeem mais fácil que uma pública. Então no meu caso, não tive todo aquele preparo. Estudei, mas não tanto a ponto de passar numa pública (deu pra entender?) HAHAHA

    3. Qual foi a sua impressão no primeiro dia de aula? E como foi? 

    Imagina chegar numa sala com mais de 60 alunos, sem lugar pra sentar e você não conhecer NINGUÉM????? Foi exatamente assim que foi. Eu fiquei beem ansiosa, porque afinal, era o curso que sempre queria fazer, e em pânico, porque sempre fui MEGA tímida e aí já imaginei apresentar trabalho pra toda aquela gente. HAHAHA Mas no final deu tudo certo. A professora fez uma atividade em sala, em dupla, e logo de cara me dei super bem com a menina que ficou comigo. A gente conversou bastante e, se me lembro bem, no segundo dia de aula já estava beeem mais soltinha.

    4. Em sua opinião, quais as principais características que uma pessoa deve ter para cursar Psicologia?

    Empatia. Acho que é exatamente isso que uma pessoa deve ter pra cursar Psicologia. Saber se colocar no lugar do outro é essencial pra se tornar um bom profissional (e olha que eu só to falando da minha área). Mas pra mim, é exatamente isso. A pessoa ter empatia, saber lidar com educação e saber se posicionar em relação aos sentimentos e emoções do outro, é algo extremamente único e essencial pra essa profissão. Ah, tem que gostar de ler, esse ponto também é essencial demaaaais! HAHAHA Da-lhe texto, viu?!


    5. Como é o curso, em geral? (matérias, trabalhos, etc.).

    O curso é bem puxado e estaria mentindo se dissesse que não teria cálculo. HAHAHAHA Eu pensei que não houvesse, mas acabei quebrando a cara agora no 5ª período. Estou tendo Estatística e morrendo de medo da prova (já é agora em Abril :x). Minha faculdade sempre oferece mini cursos e palestras pra todas as áreas, inclusive a minha, então sempre tô por dentro. Em sala de aula, os professores não costumam passar tanta tarefa pra casa, sabe?! Mas eles sugam muito na hora da prova (afinal, isso que é faculdade, aprendam. HAHAHAH). Já perdi as contas de quantos seminários apresentei, e no 4ª período tive um que me sugou até a alma. Mas, vivendo e aprendendo.

    6. Como é a sua rotina de estudos?

    Minha rotina de estudos varia muito. Eu não estudo todos os dias. Estudo mesmo quando tô com vontade e aí pode ter certeza que vou o dia todo estudando. HAHAHHAAHAH Geralmente estudo uns 4 dias na semana, revisando conteúdo, lendo os textos das próximas aulas e fazendo resumos pra discutir com o professor em sala. 

    7. Quais são, pra você, os pontos positivos e negativos dessa profissão? 

    Os pontos positivos é que eu vou tratar diretamente com pessoas (AMO!), apesar de que algumas não são tão fácies de lidar, né?! Mas é algo que eu gosto MUITO e por isso sinto que vou me dar super bem. Sou bastante paciente e gosto de ouvir os outros, sabe? Então isso são pontos muito positivos pra mim. O negativo, é por esse mesmo lado. Como falei, cuidar de pessoas não é nada fácil. Imagina ter que escutar na sua frente que fulano quer matar ciclano? É meio desesperador, né? E quando alguns deles são agressivos? Tudo isso é questão de comportamento e saber entender como funciona a mente humana. 

    8. Você já sabe pra qual área pretende seguir?

    Não. Entrei no curso desesperada pra ter aula de Psicologia Hospitalar e acabei me apaixonando por Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT). Portanto, ainda tô beem confusa de qual delas vou seguir. </3

    9. O que você gostaria de ter ouvido antes de entrar na faculdade?

    "Relaxa que não vai ter cálculo" (e realmente não ter!). HAHAHAHAHAHAHAHA Mas né, vida que segue. Vamos lá, estudar Estatística, Psicometria...

    10. Tem algum conselho pra quem pensa em fazer Psicologia?

    FAÇA! Psicologia é uma área linda e se pudesse falaria dela até vocês enjoarem. Mas ó, seja paciente em ouvir e JAMAIS misture ciência com religião. Psicologia NÃO É religião. É saber entender o que o outro sente, sem colocar nele suas crenças. Algumas pessoas acham que por fazer Psicologia, vão poder interferir na escolha do outro. Então, por favor, se você tá pensando assim, repense. Repense MUITO e depois tome sua decisão. Obrigada, de nada. HAHAHAHAH Faça Psicologia (ou qualquer outro curso) por amor, por vontade. O curso é lindo e a mente humana também. 
    Amei entrevistar a Mari! Deu pra ver que ela é apaixonada pelo curso, né? Apesar dos cálculos e tudo mais, hahaha. Muito obrigada, Mari. Que você seja cada vez mais realizada nesse curso. 

    Eu espero que vocês tenham gostado de saber um pouquinho mais dessa profissão tão incrível e espero ter ajudado vocês de alguma forma.

    O que acharam da entrevista? Quem aqui já pensou em cursar Psicologia? Quero saber, hein.

    Beijos! 
    © Quebrar o Silêncio - 2016 | Todos os direitos reservados.
    Desenvolvimento por: Fairy Dream Design | Tecnologia do Blogger.
    imagem-logo