• home
  • sobre
  • contato
  • favoritos
  • 101 em 1001
  • 11 de abril de 2017

    Eu fui: Show da Dulce Maria em Porto Alegre


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. Sei que ando meio sumida, mas estou em função de um trabalho do curso e assistindo algumas séries, como a nova da Netlix, que é produzida pela Selena Gomez, que é 13 Reasons Why, quem aí já assistiu? É demais.

    Quem me conhece sabe que sou fã do RBD e mesmo que a banda já tenha terminado, ainda acompanho eles em carreira solo, e infelizmente, nem todos continuam nesse mundo artístico, fazendo shows por aí, mas é aquele ditado, vamos fazer o que? E nessa última sexta, no dia 7, fui no show da Dulce Maria, a Roberta de Rebelde. E é claro que eu não ia deixar de compartilhar por aqui, criei o blog pra compartilhar coisas bacanas que acontecem comigo também. Vem ver:

    Fiquei sabendo do show da Dulce logo no início, a princípio, era pra ser em Novembro de 2016, mas como ela não tinha lançado o CD, resolveram adiar para Abril desse ano, o que foi muito melhor. Eu queria ir de meet, mas o preço não estava muito acessível, achei muito caro e apesar de amar muito ela, o meu apego é a Anahi, mas enfim. Fui de pista comum, como o show foi no Opinião, que é um lugar bem pequeno e que tu consegue enxergar de qualquer lugar, foi tranquilo. Tá, agora vamos ver como foi no dia do show? Vamos.

    Na mesma semana do show eu não conhecia ninguém que ia ir de pista, sério. Duas amigas minhas e mais um pessoal que eu conheço iam ir, só que de meet, então não ia adiantar combinar algo com eles. Até que essa mesma amiga minha, a Vitória, disse pra mim entrar no grupo que estavam combinando as coisas do show. Entrei e tinha uma galera que ia ir de pista, combinei com uma menina que ia chegar lá uma hora da tarde e ia se encontrar com outra que ia ir as oito da manhã. E como eu trabalho dia de semana (o show foi na sexta), ia sair do serviço e ir direto pra fila do show.

    Cheguei lá em torno das duas da tarde e fiquei que nem louca procurando a menina, passei por ela várias vezes e não reconheci. Nesse meio tempo, me encontrei com a Kamila e com a Vitória, duas amigas que foram de meet, pude matar a saudade e atualizar as nossas fotinhos. Mas voltando ao assunto, encontrei a menina e fiquei ali com ela e com um pessoal que era super bacana, e detalhe: eles estavam bem no começo da fila, tinha umas 4 ou 5 pessoas na frente.


    A cada VAN que chegava, todo mundo corria pra ver se era ou não a Dulce, coisa de fã minha gente. Até que chegou uma VAN e saiu a banda dela, daí já viu. Todo mundo gritando e quando vê sai a Dulce, com um casaco branco, achando que é inverno, com os seguranças do lado e a gente gritando. Ela deu um oizinho com a mão e já teve que ir. Achei fofa.

    Os portões abriram as 18:30h, praticamente ficamos a tarde toda na fila, naquele sol, mas o que a gente não faz pra não ficar tão atrás, né? Eu lembro que eu fiquei com muito medo, porque tinha comprado meia entrada e não tinha levado o comprovante, tá que eu tinha no celular, mas a gente pensa tudo na hora. E o resultado? Nem pediram nada gente. Só o ingresso e depois eles viam se tu não tinha bolsa pra ver o que tinha dentro e tal. É sempre assim, faço um puta drama pra uma coisinha de nada, risos.

    Como eu comentei antes, fui de pista comum, só que tinha a pista vip logo na frente. Mas como eu disse, o Opinião é bem pequeno e tu consegue ver em qualquer lugar, e não foi diferente. Ficamos esperando ali dentro, éramos os primeiros na grade da pista comum, nem no banheiro a gente foi, se não já viu... Enquanto as horas passavam, tocavam várias músicas e gente, quando tocou Sim Ou Não, parecia até o show da Anitta, juro pra vocês. Todo mundo começou a cantar, inclusive eu.

    Deu 20:00h e as luzes começaram a piscar e a banda já estava pronta. Todo mundo começou a gritar e os dançarinos entraram no palco, que por sinal eram lindos. Gritamos mais e mais. Até que a Dulce entrou, então já viu. Todo mundo gritando, pulando, gravando e assim vai. Foi lindo demais! A Dulce é muito amorzinho. Ela cantou umas duas músicas e depois começou a falar com a gente. E o melhor? Ela tentava falar português. Não só com a gente, mas em algumas músicas, como em Antes Que Ver El Sol, que ela canta com a Manu Gavassi. Ela misturou o português com o espanhol, tinham que ver que amor. 


    É claro que quando um artista vem pro Sul fazer show, a gente tem que gritar "AH EU SOU GAÚCHO" e com ela não foi diferente. A gente começou e ela tentou falar o mesmo e ainda disse "Ah, eu sou gaúcha", explosão de fofura. E teve uma hora em que ela espirrou quando tava falando com a gente, todo mundo riu, inclusive ela.

    Antes dela cantar o Medley RBD, ela começou falando que foram anos muito especiais e que ela vai guardar pra sempre. Nessa hora o meu coração quase saiu pela boca, já sabia o que estava por vir. Foi choro e muita gritaria na hora. Ela começou cantando Inalcanzable, um hino desses, bicho. E depois cantou mais umas duas músicas da banda. Depois que terminou, ela tava de costas e a gente começou a pedir pra ela cantar Fuego e ela virou e disse pra gente começar a cantar, e é claro que a gente cantou e em seguida ela continuou. Foi lindo e muito marcante! Clique aqui pra assistir um pouco do vídeo.

    Tiveram duas músicas em especiais, que ela passou uma mensagem muito linda antes, que foi No Pares e Te Quedarás. Em Te Quedarás, ela disse que as vezes as pessoas têm que ir embora, e que não importa a distância, se elas estão aqui, em outro país ou no céu, vão estar sempre conosco, em nossos corações, que é o que a música diz. E em No Pares, que vocês já devem conhecer, disse pra gente manter sempre a fé e correr atrás dos nossos sonhos, que vamos passar por dificuldades, mas temos que ter sempre fé, que é o que a música diz, né?

    O show foi lindo, super animado e especial. A Dulce volta daqui a três anos e eu quero ir de novo sim. Fico muito feliz dela lembrar da gente e muito grata por ter ido e ela ser essa pessoa incrível que é. Voltei pra casa com dois broches, um copo e muita saudade

    Foi um dos dias mais especiais da minha vida, sem dúvidas. Além de estar no show de uma das pessoas que mais me marcaram, conheci muita gente bacana e pude matar um pouco a saudade da minha banda favorita. Mais um sonho que eu risquei da lista! 
    E é isso meus amores! Eu amo compartilhar e ler posts assim. Tudo é possível e eu espero que vocês tenham gostado, de verdade.

    Qual foi o show que mais marcou vocês? Me contem, quero saber.
    Beijos! 

    29 de março de 2017

    Um pouco sobre a minha transição capilar


    Desde pequena eu comecei a criar complexo comigo mesma, principalmente com o meu cabelo, achava ele volumoso demais e não curtia isso. Lembro dos apelidos que davam pra quem tinha cabelo volumoso e me sentia culpada por isso. Nas mídias, só existiam cabelos lisos e dava a entender que o cacheado/crespo era o errado, não tinha um cabelo que me representasse, sabe?!

    Não lembro que idade eu tinha, mas quando eu era criança, vivia indo na cabeleireira pra elas fazerem um relaxamento, pra "abaixar o volume", aquele papo de sempre. Eu lembro que nunca dava certo, parecia que quanto mais ela relaxava, mais volumoso ele ficava e eu não aguentava isso, porque não gostava de volume.

    Até que prestes há fazer quinze anos, conversei com a minha mãe e pedi pra fazer uma selagem no meu cabelo (deixa o cabelo liso e abaixa o volume). No começo ficou a coisa mais linda, não vou negar. Era grande e escorrido e eu adorava isso. Vários elogios, várias fotos do cabelo e assim vai. Mas essa selagem dura cerca de dois a três meses e com o tempo o cabelo vai "voltando", sabe? Daí tem que retocar. E eu ia lá e retocava. Só que da mesma forma, depois de lavar o cabelo, eu tinha que ir lá e fazer chapinha, ou seja, era escrava da chapinha.


    Já fiquei sem lavar o cabelo por vários dias, porque depois de lavar, tinha que fazer a chapinha. A minha desculpa por usar cabelo liso era: "eu acho crespo bonito, mas dá muito trabalho e em mim não fica bom" OI? TUDO BOM? Logo eu, que todos os domingos ficava presa no quarto, quente pra caramba, fazendo chapinha, só pra agradar os outros. Lembro dessas cenas nitidamente. 

    A última fez que fiz essa selagem foi no ano de 2015, pra minha formatura. Preciso confessar que nesse mesmo ano, já tava pensando em assumir os meus cachos, mas não tinha coragem. Eu tinha medo, muito medo do que os outros iam achar do meu cabelo ou algo do tipo. E quando eu fiz essa selagem, não ficou a mesma coisa das outras vezes e eu mesma pensei: "depois da formatura, não vou mais fazer chapinha" dito e feito. Já que eu ia me formar e não ia mais ver as mesmas pessoas ~risos~ eu pensei, por que não?

    Comecei a minha transição em Janeiro de 2016. Parei de alisar o meu cabelo, não aguentava mais ser escrava da chapinha. No começo foi muito difícil, eu só usava ele preso, fiquei cerca de quatro meses com ele grande e sem nenhuma química, até que em Maio de 2016, resolvi cortar ele e começar a cuidar de verdade. Eu tinha muito medo de cortar e ficar de cabelo curto, nunca tinha tido cabelo curto. É claro que no início eu não sabia os produtos certos, a gente descobre depois de um tempo e de muitos testes. E como o meu cabelo era bem grande, cortei os 15 cm pra doar e fiquei muito feliz!



    E pra quem não sabe, transição capilar é basicamente isso aí! A gente para de usar química no cabelo e deixa ele crescer naturalmente. Hoje em dia, existem muitos canais no Youtube e Blogs com dicas pra quem está voltando aos cachos, então, acaba ficando mais fácil pra gente. 

    Outra coisa que eu só fui aceitar no final do ano passado: o meu volume. Mesmo deixando ele crescer naturalmente, eu ainda tinha muita vergonha do meu volume. Só que eu vi tanta, mas tanta gente, principalmente que eu acompanho pela Internet, com um volume lindo pra caramba e pensei "por que EU tenho vergonha de usar ele solto? ele é lindo, bicho" e lá foi eu de cabelo solto pro estágio e pro curso. Me senti tão, mas tão bem, tão livre e feliz. Recebi alguns elogios e é claro que fiquei feliz, mas o que me deixou mais feliz ainda foi o fato de eu ter aceitado como ele realmente é. Vai ter volume sim!

    É indescritível o que eu sentia e ainda sinto ao ver os meus cachos crescerem naturalmente. Dá trabalho? É claro que dá. Mas eu sinto muito prazer e fico muito feliz ao cuidar ele. Só quem já passou ou está passando pela transição, sabe o quão gratificante e o quanto que você se sente livre! A gente liga o foda-se para os comentários e começa a se aceitar de verdade. 

    Eu sei que depois que assumi os meus cachos, mudou muita coisa em mim e não foi só o meu cabelo. Acho que o que muda na verdade, é no nosso interior. Lidar com duas texturas, não é uma coisa fácil. Lidar com comentários negativos, é pior ainda. Transição é um tempo de mudanças, é como se você estivesse nascendo de novo, sabe? Eu pelo menos me senti assim. Sem sombra de dúvidas, foi uma das melhores decisões que eu já tomei em toda a minha vida.

    Tenho muitas inspirações na minha transição capilar e pretendo compartilhar com vocês algumas pessoas que me inspiraram a fazer (e continuar) com a transição. E se vocês quiserem mais posts sobre esse assunto, é só comentar aqui em baixo que eu vou adorar.

    Se vocês, assim como eu, já passaram, pensam em passar ou gostam de ler histórias assim, me contem nos comentários o que acharam! Quero muito saber. 

    Beijos! 

    17 de março de 2017

    Meus casais de séries favoritos


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. Feliz por já ser sexta feira e por não estar mais aquele calor desgraçado. Bom, me contem o que pretendem fazer no final de semana, se você for pegar a pipoca e assistir Netflix, me abraça aí!

    Eu sou a louca das séries e a louca dos casais, tudo que é casal eu já tô shippando (pra quem não sabe, o termo shippar vem de relationship, ou seja, quando alguém diz que está shippando, significa que está torcendo pelo casal) e sofrendo junto com eles sim, sou dessas. E hoje, resolvi selecionar alguns casais que eu gosto pra caramba nas séries. É claro que faltou nessa lista vários casais de algumas séries e tem várias que eu shippo muitos casais, mas resolvi selecionar um de cada. Vem ver: 
    Rachel e Finn - Glee


    Falar sobre eles dói um pouco, sinto um aperto enorme. No começo, fiquei meio assim com os dois juntos, pelo fato de ter uma relação de amor e ódio com a Rachel, mas depois foi só amor. O que eles sentiam um pelo outro era algo tão verdadeiro, que fazia bem pra ambos, uma pena o nosso Quarterback ter ido embora. Foi um casal muito especial, nunca vi igual. É impossível falar deles na série sem lembrar a vida real, me perdoem. Apesar de todos os apesares, foi um casal em que eu aprendi muita coisa e mesmo ele não estando mais entre nós, vai estar sempre em nossos corações. E sem palavras pros duetos!

    Tony e Maxxie - Skins


    Se existe um otp mais injustiçado que esse, eu desconheço. Logo na primeira temporada, já comecei a shippar por conta de um acontecimento (sem spoilers), e logo depois do (desculpa, olha o spoiler) acidente do Tony, o Maxxie ajuda ele em absolutamente tudo e os dois formariam o casal mais lindo desse mundinho. Eu acho linda a forma de como o Maxxie cuida do Tony e do quanto que ele se sentia seguro perto dele, a meu ver, foi muito mais que uma amizade. Sonhei e fui trouxa, como sempre. 

    Isak e Even - Skam


    Desde quando comecei a assistir Skam, procurei pela série e só tinha gifs desse casal, que é da terceira temporada, todo mundo enaltecendo e eu já tava louca pra chegar na temporada pra ver se era realmente tudo isso. E GENTE DO CÉU! A gente shippa no primeiro olhar, na primeira fala, é sério. O jeitinho dos dois é tão amor, o jeito de como eles se falam, um rindo pro outro... A forma de como um cuida do outro, amo muito! 

    Blair e Chuck - Gossip Girl


    Bom, eu não posso falar muito sobre esse casal por motivos de: não terminei a série ainda. Mas se tem um casal que só de ver, eu já me derreto toda, esse casal é a Blair e o Chuck. É um casal bem complicado e bastante competitivo, a gente torce e sofre por eles, não vou mentir. São aquelas duas pessoas que se gostam, mas não querem dar o braço a torcer, sabe? Impossível não amar, fala sério.

    Amy e Karma - Faking It


    Eu tenho um carinho muito especial por essa série, foi uma das primeiras que eu comecei a acompanhar. Apesar de todos os apesares, Amy e Karma vão ser sempre os meus dengos. Sim, eu sei que a amizade é em primeiro lugar sempre, mas só de ver as cenas das duas juntas, os beijos e abraços, já fico toda boba. É um casal (pode ser só na amizade também) que significa e representa muito! Vocês que são fãs da série, assim como eu, já leram a carta do criador da para os fãs? Se não leram, é só clicar aqui e chorar junto comigo. 

    Rae e Finn - My Mad Fat Diary


    Eu lembro que no início eu não curtia muito o Finn, mas a Rae também não curtia, então tá tudo bem. Mas depois tudo muda e vira amor, eu adoro as safadezas da Rae, não vou negar. O Finn é o tipo de pessoa que a gente quer guardar dentro de um potinho, sou apaixonada. Mesmo sendo duas pessoas bem diferentes, parecem tão iguais e eles foram feitos um pro outro, sabe? Amo a maneira de como eles se respeitam e toda a história deles juntinhos.

    Nomi e Amanita - Sense8


    Foi difícil escolher um só casal, mas fiquei com essas duas. Eu amo que a Amanita compreende a Nomi em tudo e tá sempre do lado dela, tanto nos momentos bons como nos ruins, sempre apoiando e respeitando, e isso é recíproco. É um casal que é impossível não gostar e que a gente torce toda hora pra que tudo dê certo e que elas continuem juntas. Elas são muito mais que namoradas, acima de tudo, são grandes amigas. Amo, amo, amo! 
    Já viu?

    E é isso, meus amores! Quero saber quais são os casais das séries que vocês shippam, será que um desses também é o favorito de vocês? Quero saber, hein.

    Beijos. 

    8 de março de 2017

    6 coisas que eu aprendi com o feminismo

    Créditos: Tumblr.
    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, obrigada. E eu sei que já faz um tempinho, mas quero saber o que vocês fizeram no Carnaval, espero que tenham dormido bastante, já que o próximo feriado é só mês que vem. Agora, o ano definitivamente começou e é isso aí.

    Antigamente, eu tinha um pé atrás em relação ao feminismo pelo fato de não entender muito bem e achava besteira. Mas graças a muitas mulheres incríveis que acompanho, fui entender o verdadeiro significado. Pra quem não sabe, feminismo é um movimento social, que luta por equidade de gêneros. Não sou especialista no assunto, acho que a gente aprende um pouquinho a cada dia, mas resolvi listar algumas coisinhas que aprendi desde quando me assumi feminista. Vem ver: 
    1. Não tem nada de errado com o meu corpo
    Quem me conhece sabe que eu sempre tive alguns problemas com a minha autoestima, não gostava do meu cabelo e me achava magra demais. Depois de conhecer o feminismo e ouvir outras histórias sobre mulheres que também se sentiam insatisfeitas com si mesmo, principalmente pelos comentários alheios e deram a volta por cima, me fez parar com tudo isso. É claro que eu não sou a pessoa mais segura desse mundo, mas comparado há cinco anos atrás, estou muito melhor. Empodere-se! 💫

    2. Nós mulheres não somos rivais
    Sempre quando eu vejo algum vídeo sobre o feminismo, muitas mulheres falam que eram mais próximas dos homens pelo fato das mulheres terem sempre aquela rivalidade. Comigo nunca foi assim. Eu sempre fui mais próxima das mulheres, lembro que quando criança, eu sempre fui mais próxima das meninas da minha escola e a gente estava sempre juntas, mas é claro que com o tempo, a gente começa a ouvir que temos que ser A MAIS BONITA, A MAIS MAGRA, A MAIS SEXY e assim vai. Só que não. Nós temos que nos unir, porque juntas somos mais fortes. Vamos nos unir, mana! 

    3. Estupro não é culpa da vítima
    Sempre quando a gente ouve algo sobre uma jovem ou até criança que foi estuprada pelo pai, avô, que seja, tem sempre alguém que comenta algo do tipo "ah, mas olha a roupa que ela estava usando" ou "ela já deu pra todo mundo", e muitas vezes a gente acaba acreditando nisso. E não, meus amores. A culpa nunca é da vítima, se a gente disse NÃO é NÃO, viu? 

    Na manifestação Women's March, no dia 21 de Janeiro.
    4. Meu corpo, minhas regras
    A sociedade fala que não podemos usar roupas muito curtas, porque "estamos pedindo", que é feio mulher sem sutiã e que temos que usar ele porque se não os meninos vão ficar olhando para os nossos peitos, falam que a mulher usa maquiagem pra chamar a atenção ou até mesmo julgam uma mulher que fica com vários homens. Até mesmo os nossos cabelos. Antigamente, cabelo liso era o certo e cacheado/crespo o errado. E ainda bem que isso mudou e hoje em dia muitas mulheres vem assumindo os seus cachos, parando de usar sutiã, usando maquiagem porque elas querem e beijando quem elas bem entenderem. E o melhor de tudo, elas fazem isso por elas, sem a aprovação de ninguém. Afinal, o corpo é MEU e eu faço com ele o que eu quiser, viu?

    5. Lugar de mulher é onde ela quiser
    Tem gente que diz que lugar de mulher é em casa, cuidando do lar e dos filhos. Só que não. É claro que se ela quer fazer isso por vontade própria, tudo bem, afinal, lugar de mulher é onde ELA quiser, o problema é que a sociedade dita isso como regra. Falam que temos que nos comportar como mocinha, não usar roupa curta ou deixar de jogar futebol, porque não é coisa de menina. Só que nós cansamos e não somos obrigadas a absolutamente nada. 

    6. Equidade  igualdade
    Algo que defina bem isso é essa imagem. Igualdade é você dar a mesma coisa pra todas as pessoas, independente de como elas são tratadas. Já equidade é você observar as diferenças e tentar comparar essas diferenças e ser justo. Por exemplo, eu tenho dez balas e quero distribuir para cinco pessoas, só que dessas cinco, duas já tem uma bala. Igualdade seria eu dar duas balas para cada uma, sendo que duas delas ficariam com mais balas. Já equidade é eu dar uma bala para as outras pessoas que não tem, que são as outras três. Deu pra entender? 

    Feminismo é sobre empoderamento feminino, equidade social, política e econômica entre os gêneros, porque não precisamos garantir os mesmos direitos pros homens, afinal, eles já têm. Para entender melhor, assista esse vídeo ou leia esse post.

    Feliz dia da mulher, pra você, pra mim e pra todas nós que somos incríveis e lindas do jeitinho que somos. 💫
    Me contem o que vocês já aprenderam com o feminismo e o que vocês acharam do post, vou adorar saber.

    Beijos. 

    21 de fevereiro de 2017

    DIY: Capa de caderno personalizada


    Oi gente! Como vocês estão? Espero que todos bem. Quem mora em Porto Alegre sabe que esse calor tá demais, né? Bah, assim fica difícil. E hoje, voltando do curso, tomei um banho de chuva, coisa boa, refresca bastante. Quero saber o que vocês vão fazer nesse feriadão que está por vir, só sei que temos que aproveitar, porque o próximo vai demorar, risos. 

    Desde quando compartilhei com vocês os meus cadernos personalizados, algumas pessoas me chamaram perguntando como eu fiz tanto os cadernos como as colagens. Como eu tinha comentado, muitas das colagens eu peguei pela Internet, só algumas que eu fiz, mas o caderno, foi eu que fiz sim e por isso, resolvi trazer um DIY pra vocês, assim consigo atender o pedido de alguns! Vem ver: 
    VOCÊ VAI PRECISAR DE:


    1. De duas imagens com boa qualidade.
    2. Papel Contact transparente.
    3. Um caderno (não precisa ter a capa bonita, viu?). 
    4. Um palito ou um lápis.
    5. Fita durex ou cola.
    6. Alicate. 

    Essa colagem das meninas do Depois das Onze foi eu que fiz, pelo aplicativo PicCollage, não mostrei como eu fiz porque é bem fácil de usar e vocês podem pegar colagens já feitas pelo Tumblr também. Lá tem várias opções, o que é bem melhor! Mas se alguém quiser essa colagem, é só entrar em contato comigo que eu passo, sem problema algum. 

    PASSO A PASSO:


    1. A primeira coisa a se fazer, é tirar a espiral do caderno. Para isso, você vai precisar da ajuda do alicate para desfazer aquelas pontinhas tortas, como está na foto. Em seguida, é só você retirar a espiral com muito cuidado.

    2. Agora que você já tirou a espiral, guarde as folhas em um lugar seguro, para não desalinharem. E as capas sem a espiral ficam daquele jeito como está na segunda foto.

    3. O terceiro passo é você colar a imagem que você imprimiu na capa do caderno. Recomendo que você deixe do jeitinho que você quer pra depois colar. E usem a cola que é muito mais fácil! Como eu não tinha, fui de fita durex mesmo. 


    4. Agora que a imagem já está colada na capa, você pega o Papel Contact e mede conforme a capa do seu caderno. Recomendo vocês deixarem sempre duas linhas a mais, porque é preciso colar o resto do papel na parte de trás também. 

    5. Com muita atenção, você começa a passar o Papel Contact na capa. Se você não tem muita experiência, peça ajuda para alguém ficar segurando o caderno enquanto você passa o papel, assim fica bem mais fácil, viu? E tomem muito cuidado pra não deixarem bolinhas, conforme forem colando, passem um paninho ou até mesmo os dedos (como está na foto), para não deixarem as bolinhas.

    6. Depois de colar na capa, você vai colar o que sobrou do papel na parte de trás, por isso eu disse pra deixarem umas linhas a mais quando forem recortar o Contact, viu só? E é só você colar, como está nessa última foto. 


    7. Depois de fazer tudo isso, é só você pegar um palito, um lápis ou qualquer coisa com a ponta fina e começar a furar de um em um, até terminar toda a capa. O Contact atrapalha um pouco pra furar, mas é só ter muita atenção pra ficar direitinho, ok? 

    8. Em seguida, é só posicionar as capas no resto das folhas e colocar a espiral da mesma forma que você retirou elas, com muito cuidado sempre. 

    9. E por último, não esqueça de dobrar as pontas, como está nessa última foto. É sempre bom ter certeza de que as pontas estão dobradas, se não já viu. Não ousem esquecer desse último item, viu? É tão importante como todos os outros. 

    RESULTADO: 


    E o caderno ficou assim! Eu gostei bastante. Preciso confessar que já é o sexto caderno que eu faço e nenhum eu joguei fora, acreditam? E nem esse vai ir. É um DIY bem fácil e prático, sem contar que fica do jeitinho que você quer, é o máximo, né? 
    Espero que vocês tenham gostado, de verdade. DIY não é uma coisa fácil de fazer, mesmo a gente sabendo como faz, tem que ter muita atenção e cuidado pra não passar a informação errada. Sei que tenho muito a melhorar, mas já que estamos voltando às aulas, queria muito compartilhar porque já veio gente me perguntando sobre os cadernos, o que eu adoro. 

    Como eu vou viajar nesse feriado, semana que vem estarei de volta respondendo os comentários e retribuindo as visitas, ok? Obrigada pela atenção gente. 💫

    O que acharam do DIY? Vocês tem algum caderno personalizado? Quero saber, hein.
    Beijos! 

    13 de fevereiro de 2017

    8 lugares que eu sonho em conhecer


    Oi meus amores! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu vou bem, queria que as férias durassem mais tempo, mas é aquele ditado, vamos fazer o que? Ah, quero pedir desculpas por não ter postado nada na semana passada, andei meio ausente nessa última semana em relação aos comentários, mas logo mais vou responder e retribuir todos.

    Em 2015, fui pra Disney e desde então, sonho em conhecer o mundo todo, apesar de não viajar muito atualmente, me imagino conhecendo vários lugares, seja sozinha ou acompanhada. O mundo é tão grande e tão lindo, né? E por isso, resolvi selecionar alguns lugares que eu sonho muito em conhecer, espero conseguir conhecer todos e é claro que compartilhar tudo. Por enquanto, só listei destinos internacionais, mas a lista é grande. Vem ver: 

    Joanesburgo (África do Sul)
    Eu poderia colocar Cape Town, que é outra cidade dos sonhos também. Sempre pensei em ir pra África pra fazer trabalho voluntário, cuidar das crianças e/ou dos animais. É tanta biodiversidade por lá, é lindo demais. Eu fico olhando os relatos das pessoas que já foram e a vontade só aumenta. Deve ser uma experiência incrível e única! 💖


    Vancouver (Canadá)
    Seja Vancouver ou Toronto, vou ficar muito feliz. Mas acredito que com Vancouver mais ainda. Até onde eu sei, os Canadenses aceitam muito bem outras culturas e as respeitam, não é atoa que é um dos lugares mais procurados. Deve ser um sonho ir pra lá e conhecer gente de tudo quanto é canto, sem contar que cada cantinho deve ser lindo demais. Ir pra lá e ficar alguns meses deve ser o máximo!


    New York (Estados Unidos) 
    Meio clichê? Talvez. Eu sonho em ir para NY e já me vem a cabeça todos os filmes e séries que já assisti que se passam por lá. Não tem como não se encantar com a Times Square, o Central Park e o Brooklyn, não é? E é claro que assistir a um espetáculo na Broadway está na lista. É a cidade dos sonhos, então nem preciso comentar. Imagina passar a virada do ano por lá? E é lá onde tudo acontece, né minha gente. 💫


    Cidade do México (México) 
    Tenho um carinho muito especial pelo México, vocês já devem saber o motivo, se não sabem, já deixo claro que é pelo RBD. Sou fã até hoje e desde pequena, sonho em ir pra lá, conhecer cada cantinho, comer aquelas comidas apimentadas e tentar conversar com os mexicanos. Minha amiga já foi pra lá algumas vezes e ela disse que eles são muito receptivos, educados e simpáticos. Imagina ir pra lá e encontrar algum ex-rbd? Temos que sonhar, já que é de graça né, ahahaha.


    Machu Picchu (Peru) 
    Peru entrou pra minha lista não faz muito tempo. Depois de ver alguns vídeos e acompanhar os vídeos de uma conhecida, esse lugar me encantou de um jeito. É um lugar encantador e que eu sonho em conhecer. Machu Picchu então deve ser muito lindo e cansativo pra caramba. Imagina que louco olhar pro lado e ver uma Lhama?


    Los Angeles (Califórnia)
    Como amante do cinema, sonho muito em conhecer essa cidade. Conhecer a calçada da fama, ver cada nome ali que marcou a minha vida, de alguma maneira. E também, o letreiro de Hollywood, gente, sonho muito. Sem contar as praias e o fato de ter várias celebridades por lá, né? Nem amei. E por aqui, entra a cidade de San Franciso, pode ser? Quero conhecer a famosa ponte Golden Gate, devo isso ao seriado As Visões da Raven, risos.


    Buenos Aires (Argentina)
    Esse aqui é o destino mais próximo e é uma ótima opção. Mesmo morando no Sul, nunca fui pra lá, triste realidade. É a cidade que tem mais teatros do mundo, tem uma grande vida cultural e uma arquitetura com um estilo europeu, olha só que máximo. Lá tem muitos pontos turísticos interessantes e a vontade de ir só aumenta.


    Europa
    Amsterdam, Portugal, Grécia, Paris, Berlim, Itália... São tantos destinos. Eu poderia escolher somente um, mas tem como? Sonho mesmo é fazer um mochilão pela Europa, tenho uma conhecida que fez com alguns desses destinos e fiquei encantada. E essa vontade de conhecer Amsterdam é graças ao filme A Culpa é das Estrelas, será que foi só comigo que isso aconteceu? 
    E esses são alguns dos lugares que eu quero muito conhecer. Tenho uma lista grande, mas acredito que esses estão no topo da lista. 

    É claro que tem muitos lugares daqui do Brasil que eu quero conhecer, quem me conhece sabe o quanto eu tento valorizar as coisas daqui, só não listei porque pretendo fazer um post só com os lugares nacionais, ok?

    Quais são os lugares que vocês querem ir? Temos algum em comum? Me contem, quero saber. 
    Beijos! 

    2 de fevereiro de 2017

    O que assistir na Netflix?

    Oi meus amores! Como vocês estão? Espero que todos bem. Eu estou bem, só esse verão que tá demais! Minhas férias já terminaram e é aquele ditado, vamos fazer o que? Hahahaha. Hoje é feriado aqui em Porto Alegre e cada feriadinho a gente tem que aproveitar né? Me contem o que vocês tem feito de bom nessas férias ou se assim como eu, as férias já terminaram. 

    E pra quem gosta de aproveitar o final de semana ou as férias pra assistir bons filmes, hoje eu resolvi trazer um post recheado de filmes e séries bacanas pra vocês assistirem. E se você, assim como eu, fica navegando pela Netflix a procura de um filme ou de uma série que te chame a atenção e perde mais tempo procurando o que assistir do que assistindo algo de verdade, vem dar uma olhada nesses filmes e nessas séries que eu indiquei. Vem ver: 
     Um Olhar do Paraíso

    Para assistir ao trailer, clique aqui

    Um Olhar no Paraíso é o filme que eu indico pra todos! Eu assisti há algumas semanas atrás e ele já entrou pra lista dos favoritos. É muito triste saber que essa é a realidade de muitas crianças e mulheres hoje em dia, no mundo todo. Sem palavras pra atuação de cada personagem, sensacional. E é um filme que vai muito além do mundo real, temos o espírita também.

    Sinopse: Em dezembro de 1973, Susie Salmon voltava da escola para casa quando foi assassinada. Ela tinha apenas 14 anos. Depois de morta, Susie continua a velar por sua família – enquanto seu assassino permanece solto. Presa em um extraordinário, ainda que misterioso, espaço entre a Terra e o Céu a menina descobre que precisa escolher entre a busca por vingança e o desejo de ver seus amados seguirem em frente. O que tem início como um chocante homicídio leva a uma jornada visualmente criativa e repleta de suspense que, através dos laços de memória, amor e esperança, segue em direção a um desfecho surpreendente e emotivo.

     Amizades Improváveis (The Fundamentals Of Caring) 

    Para assistir ao trailer, clique aqui

    Esse filme é uma mistura de emoção com diversão. É aquele tipo de filme com um assunto sério, mas não é nada apelativo, pelo contrário, é bem leve e rapidinho. Eu gostei muito da forma de como o Trevor (personagem principal), lidava com os seus problemas. Confesso que acreditava nas pegadinhas dele, era cada susto, melhor pessoa! Ah, tem a linda da Selena Gomez no elenco e ainda é original da Netflix, amei?

    Sinopse: Ben é um escritor que decide tornar-se cuidador após sofrer uma tragédia pessoal. Seu primeiro cliente, Trevor, possui distrofia muscular; o jovem de 18 anos apesar de sua condição tem uma boca bem afiada, quanto aos cuidados, que receberá de Ben. Juntos, eles embarcam em uma viagem por todos os lugares com os quais Trevor ficou obcecado assistindo ao noticiário de TV, incluindo seu Santo Graal: o buraco mais profundo do mundo. No caminho, eles conhecem a jovem Dot e também uma futura mãe, Peaches, que embarcam na aventura da dupla. Aventurando-se pela primeira vez além das fronteiras de seu mundo milimetricamente calculado, eles descobrem o que é ter esperança e amigos de verdade.

     Um grito de Socorro (Spijt!) 

    Até hoje não encontrei o trailer, mas aqui tem uma partezinha. 

    Eu já fiz um post, há algum tempo atrás, indicando esse filme por aqui. E fiquei muito feliz quando vi ele na Netflix, lindo demais. É um filme que me marcou muito e que eu indico pra todo mundo. É um assunto MUITO sério e que todos nós precisamos nos informar mais. E infelizmente, é a realidade de muitos jovens. Acho que todas as escolas deveriam passar para os alunos assistirem. Ah, não se esqueçam dos lencinhos ao assistir!

    Sinopse: Jochem é um adolescente gordinho que sofre bullying nas mãos de um grupo de colegas da escola. Alguns até tentam ajudar, mas a situação sai do controle quando o garoto é forçado a ficar bêbado numa festa. Sentindo-se culpado por não ter apoiado o colega, David resolve procurá-lo, sem imaginar que talvez seja tarde demais para ajudar Jochem.

     3%

    Para assistir ao trailer, clique aqui

    Essa é uma série original da Netflix e é brasileira, isso mesmo! Eu assisti essa série rapidinho e desde o primeiro episódio ela me chamou a atenção. Fiquei muito feliz de saber que produziram essa série por aqui, com muita qualidade, atores tão talentosos e um elenco bem diversificado. Tentem dar uma chance, e um pedido: vamos valorizar as coisas daqui!

    Sinopse: Em um futuro pós-apocalíptico não muito distante, o planeta é um lugar devastado. O Continente é uma região do Brasil miserável, decadente e escassa de recursos. Aos 20 anos de idade, todo cidadão recebe a chance de passar pelo Processo, uma rigorosa seleção de provas físicas, morais e psicológicas que oferece a chance de ascender ao Mar Alto, uma região onde tudo é abundante e as oportunidades de vida são extensas. Entretanto, somente 3% dos inscritos chegarão até lá. 

     Sense8 

    Para assistir ao trailer, clique aqui

    Sem palavras pra essa série! É difícil de explicar Sense8, só você assistindo pra entender. Mas já vou avisando que os personagens são incríveis e os atores mais ainda. É uma das séries mais bem feitas que eu já assisti e aborda temas importantíssimos. Uma dica: não assistam ao lado dos pais, hahahah. Essa foto é do episódio especial de Natal, que por sinal, foi um lacre atrás do outro.

    Sinopse: Grupos de pessoas ao redor do mundo que estão ligadas mentalmente, e precisam achar uma maneira de sobreviver sendo caçados por aqueles que os veem como uma ameaça para a ordem mundial.

     Scream 

    Para assistir ao trailer, clique aqui

    Pra você que não gosta de terror e acha que vai se assustar com Scream, pode parar. É muito mais suspense. A série é inspirada na franquia "Pânico" e eles souberam adptar muito bem. É aquele tipo de série que te prende do início ao fim, vale muito a pena. E tem muitas referências, o que eu adoro. Brooke rainha, apenas!

    Sinopse: Depois de um incidente de cyber-bullying resultar em um assassinato brutal, a violência reacende a memória de uma série de assassinatos que ocorreram no passado em Lakewood, que intrigaram alguns e talvez tenham inspirado um novo serial killer. Um grupo de adolescentes, com dois velhos amigos tentando se reconectarem, se tornam amantes, inimigos, suspeitos, alvos e vítimas de um assassino que está à procura de sangue.
    E é isso meus amores. Espero que gostem de algum desses filmes e de acompanhar algumas dessas séries. Eu resolvi indicar filmes/séries que tenham na Netflix, porque é mais fácil de encontrar e a qualidade é a melhor. Netflix é vida! E se quiserem me indicar algo, podem indicar que eu adoro. 

    O que acharam? Já assistiram algum desses filmes ou séries? Me contem, quero saber.
    Beijos! 
    © Quebrar o Silêncio - 2016 | Todos os direitos reservados.
    Desenvolvimento por: Fairy Dream Design | Tecnologia do Blogger.
    imagem-logo