• home
  • sobre
  • contato
  • favoritos
  • 101 em 1001
  • 29 de abril de 2014

    AnahiDay

    Oi, como todos sabem (ou não) sou fã da Anahi (sim, a Mia de Rebelde). E hoje é um grande dia tanto pra ela como para os fãs, que admiram e amam tanto ela. Anahi costuma ser chamada de guerreira pelos fãs, pela sua história de vida. Pra quem não sabe, clique aqui ou tá logo aí: 

    " Há 13 anos, Anahi enfrentou um distúrbio alimentar grave, anorexia nervosa. Ela pesava aproximadamente 35 quilos, e com isso no dia 29 de abril de 2001, Anahi sofreu uma parada cardíaca de 8 segundos, o mundo dela parou, mas advinha? Ela não desistiu." 
    E sabe o que o que sinto em relação a isso? ORGULHO. Orgulho dessa mulher que depois de sofrer tanto, por quase perder a vida, Deus deu uma segunda chance pra brilhar aqui na terra, e não apenas brilhou como conquistou milhares de corações ao mundo todo. O dia 29 de abril de 2001 foi o dia em que a nossa estrela voltou a brilhar mais do que nunca. 
    A Anahi é um exemplo de vida, obrigada Anahi, obrigada por ser quem tu és, a melhor pessoa, a mais guerreira, a rainha de todos os tempos, eu te amo! 
    E como ela mesma dizia "Eu não me dava conta que a única pessoa que podia preencher o vazio que eu sentia era eu mesma. [...] Isso é o mais importante."  

    Beijinhos ♥  

    27 de abril de 2014

    Existe corpo ideal?

    Recentemente saíram algumas fotos da atriz Scarlett Johansson, onde ela aparece nua. Fiquei sabendo que algumas pessoas já vieram com comentários negativos a respeito do corpo dela. Dizendo que é feio, ou que não esperava que fosse assim. Pra quê isso? Pra quem não viu, as fotos estão aqui. 

    Até agora fico me perguntando o que leva as pessoas reclamarem e julgarem sobre o corpo dela. Qual é realmente o peso ideal das pessoas? Como que elas têm que ser? O maior problema é que as pessoas veem defeitos em t-u-d-o. A Scarlett Johansson tem um corpo lindo, é rica e pode gastar o que quiser e vai continuar na boca do povo. Se ela tá com uns quilinhos a mais ou uns quilinhos a menos, ou falta isso e aquilo no corpo dela, o que vocês tem haver com isso? Confesso que sou super magra, e não fico saindo por aí falando do corpo ideal, não faço e nem fiz dietas só pra ter um corpinho perfeito. 

    Sempre achei que as pessoas tem que gostar de você pelo o que você é e não como você é. Não como você se veste, come, e principalmente pelo seu peso. - voltando ao assunto, se não vou perder o foco - O tempo inteiro as pessoas falam mal das modelos por serem magras demais ou das panicats por serem gostosas ou serem bastante musculosas. Mas, e daí? Será que já passou pela cabeça dessas pessoas quem essas modelos ou panicats são por dentro? Que elas não são apenas um corpo, e sim seres humanos que também tem sentimentos. Quando a pessoa tem um corpo "normal" também acontecem comentários negativos e criticas. 

    As pessoas andam exigindo demais das outras, sem cuidar do seu próprio nariz e dos seus defeitos. E essas pessoas que julgam os outros pela "capa ou casca" tem que é mudar por dentro, aposto que não tem nada bonito lá dentro. As pessoas adoram julgar, ver defeitos nos outros, ou falar uma qualidade de si que o outro não tem só pra deixar os outros pra baixo só porque não segue os padrões impostos pela sociedade, se achando superior a todo mundo. 

    Hoje em dia todos são feios, só porque para os outros é preciso mudar sempre alguma coisa, nunca somos bons o bastante. Vocês podem se perguntar por que estou falando sobre isso, mas é porque parece uma coisa sem importância, mas tem importância sim. E também já passei por isso, as pessoas acabam tendo problemas com si mesmos, porque os outros adoram julgar e rebaixar as pessoas. Ah, e vi esse assunto no Blog da Belle, aqui. 

    Pensem e reflitam sobre isso... 

    26 de abril de 2014

    Escrever é o melhor remédio

    "Poucas coisas na vida aliviam tanto quanto escrever. Poucas coisas na vida nos angustiam tanto quanto escrever. Poucas coisas na vida desesperam tanto quanto escrever. Poucas coisas na vida são tão difíceis quanto escrever.
    Minha regra para a vida sempre foi: tá triste? Escreva. Tá feliz? Escreva também. A gente organiza os pensamentos e, talvez, seja o único momento em que conseguimos ser verdadeiros conosco. Não é simples despejar um turbilhão de pensamentos em palavras, mas, ainda assim, escrever é o melhor remédio.
    Escrever pode te ajudar a curar a sua loucura ou o pontapé que precisava para perceber que está louco. Preencher um papel em branco pode ser a tarefa mais complicada e mais fácil ao mesmo tempo. A escrita é uma arte que vem, naturalmente, com os dois lados da moeda. Não é nada banal, ainda mais quando você está falando dos seus sentimentos, mas é bom mesmo assim.
    Escreva, mundo, escreva. A ideia não é ser um novo Shakespeare, mas poder se expressar de alguma forma. Algumas pessoas cantam, tocam, pintam quadros, dançam. Eu? Escrevo. Por mais complicado que possa parecer (e ser!), coisas difíceis se tornam fáceis com a prática.
    Não importa se é à mão ou digitado: colocar pra fora na forma de escrita é a melhor forma de nos entendermos, porque poucas coisas na vida são tão libertadoras quanto escrever."

    Sim, esse assunto está no Blog da Bruna, do Depois dos quinze, clique aqui. 

    22 de abril de 2014

    Livro: As vantagens de ser invisível

    Imagem da Melina Souza. 
    Oi! Vim falar sobre o livro “As vantagens de ser invisível”. Como todos sabem, tem o filme também, mas houve boatos de que não é tão bom assim (como o livro), mas cada um cada um não é? Haha 
    Eu a-m-e-i o livro, foi um dos melhores que eu já li (li em três ou quatro dias nas férias). Me identifiquei bastante com o Charlie, com a história dele, o jeitinho dele e a maneira dele pensar também. E além do mais, esse livro me fez perceber e parar pra pensar várias coisas. Me fez pensar e agir diferente mudou um pouco aqui dentro (♥) sabe? 
    A sinopse do livro tá logo aí em baixo:
    Cartas mais íntimas que um diário, estranhamente únicas, hilárias e devastadoras - são apenas através delas que Charlie compartilha todo o seu mundinho com o leitor”. Enveredando pelo universo dos primeiros encontros, dramas familiares, novos amigos, sexo, drogas e daquela música perfeita que nos faz sentir infinito, o roteirista Stephen Chbosky lança luz sobre o amadurecimento no ambiente da escola, um local por vezes opressor e sinônimo de ameaça. Uma leitura que deixa visível os problemas e crises próprios da juventude. ” 
    Imagem da Melina Souza. 
    Li esse livro nas férias, em janeiro. Esse livro conta a história de Charlie, um menino “na dele” e que conhece Sam e Patrick, eles tornam melhores amigos de Charlie e ajudam-no em diversas maneiras de encarar os problemas da vida. Quem também ajudou bastante o Charlie foi o seu professor, que sugeria livros para ele ler e fazer trabalhos, como uma maneira de ajudar Charlie. Ele conta tudo que está acontecendo na sua vida através de cartas para “ninguém”. Amei o livro, achei incrível e eu li bem no momento em que eu precisava. 
    Achei o Charlie super fofo e meio tonto às vezes (quase sempre). Gostei da Sam também, é esperta e safada, haha. E o Patrick nem se fala, além de engraçado é super legal e dei várias risadas com ele, mas em alguns momentos fiquei “COMO ASSIM” hahahaha. 
    Se vocês não leram esse livro, tá aí a dica: “As vantagens de ser invisível” é demais. Ou se não, olhem o filme. E quem já leu o que achou? Beijinhos ♥  

    17 de abril de 2014

    Recadinho

    Oi, gente vim avisar que esse feriado vou viajar pra praia e lá o sinal não é 100%. Então vou ficar sem postar aqui até quando eu voltar, mas logo to de volta preparando um monte de posts. Beijinhos e se cuidem ♥

    15 de abril de 2014

    Hoje eu quero voltar sozinho

    Oi. Como todos vocês (ou alguns) sabem que o filme “Hoje eu quero voltar sozinho” já está nos cinemas (uhuh lol) e eu fui ver com as minhas amigas, e querem saber? É super bom. Sei que as pessoas ficam meio sem saber se é bom ou não filmes nacionais, mas só vendo pra saber se é bom ou não. E eu adorei a história em si é legal e ainda mais os atores, nunca tinha ouvido falar deles e sinceramente? Eles atuaram demais, foram fod@* principalmente o personagem principal, hahahaha. 

    Uma das coisas que mais me chamaram a atenção nesse filme foi que o Leonardo (personagem principal) é cego no filme e ainda é homossexual, se apaixona pelo seu amigo e isso é demais, porque ele nunca tinha visto o amigo e se apaixonou por ele, super lindo. 

    O filme fala sobre o
    Leonardo, que é um adolescente cego que não aguenta mais depender dos outros, ele quer ser independente, sem precisar lidar com as suas limitações e a ajuda da sua mãe. E com isso, ele planeja fazer uma viagem de intercambio, para a decepção da sua melhor amiga que está sempre com ele, a Giovana. Só que com a chegada do Gabriel, um aluno novo na escola, o Leonardo acaba despertando sentimentos até então desconhecidos, fazendo descobrir uma nova maneira de ver o mundo na vida dele. 
    E, além disso, tem pessoas da escola que ficam zoando ele não apenas por ser cego, mas também porque ele se torna super amigo do Gabriel, e sabe como, as pessoas não respeitam os sentimentos dos outros. Bom, vou parar por aqui se não vou contar todo o filme pra vocês, hahahaha. Ah, recomendo, um filme nacional bom é esse aí, rs. O trailer tá aí pra quem não viu: 


    *Só esperava mais do final, porque ficou um ar de “e agora? O que vai acontecer?” Espero que tenha o dois pra responder as minhas dúvidas, haha.* 
    E vocês já pensaram em ver esse filme? E se viram, o que acharam? Bejinhos ♥  

    1 de abril de 2014

    1º de abril?


    Quando falam nessa data o que eu penso? Sim, dia da mentira. Só não entendo o porquê, se as pessoas mentem o ano inteiro, o tempo todo e tem um dia da mentira. As pessoas mentem o tempo todo e ainda tem o dia da mentira pra mentirem mais ainda? Ah, me poupe.

    Tinha que ter o dia da verdade, pra pelo menos falarem a verdade para os outros, falarem que mentiram tal dia e tal assunto sabe?! É difícil de entender, mas pra mim isso não tem lógica e não faz diferença. Acho que se uma pessoa mentiu pra ti o ano inteiro, não vai ser no dia 1º de abril que vai deixar de mentir não é? Sempre tem aquelas pessoas que passam a vida inteira mentindo, é claro que todo mundo já mentiu um dia, que atire a primeira pedra quem nunca hein. Mas, mentir o ano inteiro é sacanagem.

    É tanta hipocrisia das pessoas, mentem o ano todo, como se a gente não fosse descobrir um dia que tudo não passou de uma mentira. É não posso com isso. Não sei vocês, mas esse dia é tão desnecessário quanto às pessoas que mentem.

    Aproveite que é o dia da mentira, para dizer a verdade, rs. 
    © Quebrar o Silêncio - 2016 | Todos os direitos reservados.
    Desenvolvimento por: Fairy Dream Design | Tecnologia do Blogger.
    imagem-logo